Biden assina decretos para aumentar a concorrência nos Estados Unidos

O presidente norte-americano, Joe Biden, sanciona projeto de lei / Foto: Casa Branca

São Paulo – O presidente norte-americano, Joe Biden, assinou decretos para promover a concorrência entre as empresas dos Estados Unidos, afirmando que concentração limita o potencial de crescimento da economia do país. As medidas têm com alvos principais o setor de saúde e de tecnologia.

“Chegou a hora de tornar a concorrência mais justa nos Estados Unidos. Os decretos assinados hoje enviam a mensagem de que a tolerância a abusos por grandes empresas e a tolerância a monopólios acabaram nos Estados Unidos”, disse ele em pronunciamento na Casa Branca.

Os decretos de Biden por si só não impõem novos requisitos às empresas. Eles incluem um conjunto diversificado de iniciativas sob o mesmo teto e são mais explícitos ao pressionar as agências federais a tomarem medidas detalhadas para proteger a concorrência.

Portanto, o sucesso do esforço do governo depende mais da eficiência das agências federais para pressionarem pela implementação de suas políticas de concorrência.

“O setor de saúde é um dos que mais sofre com a concentração e essa concentração impede a inovação, os preços mais baixos e torna as pessoas reféns de algumas empresas. Não é o que queremos. Queremos uma economia interna competitiva, pois assim conseguiremos concorrer com a China no cenário internacional”, afirmou Biden.