Biden apela por plano de infraestrutura para fortalecer setor de chips

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden / Foto: Casa Branca

São Paulo – O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, apelou pela aprovação do plano de infraestrutura de US$ 2,3 trilhões para fortalecer a indústria de semicondutores do país, em meio a uma escassez de chips que tem afetado em especial o setor automotivo.

“Eu venho dizendo há algum tempo: a China e o resto do mundo não estão esperando, e não há razão para que os norte-americanos devam esperar”, disse Biden ontem, após uma reunião virtual com executivos de empresas automotivas e de tecnologia, como Ford Motors, General Motors, Intel e Alphabet, sobre problemas da cadeia de suprimentos.

Um grupo da indústria automobilística dos Estados Unidos estimou que a escassez contínua de semicondutores poderia cortar produção em 1,28 milhão de veículos este ano.

“Estamos investindo agressivamente em áreas como semicondutores e baterias. Isso é o que eles estão fazendo e outros; nós também devemos. Estamos buscando um investimento significativo nesta legislação. E é importante, mas sabemos que não é suficiente”, segundo Biden.

O plano de infraestrutura de Biden inclui US$ 50 bilhões para a indústria norte-americana de semicondutores. O presidente disse que semicondutores, junto com a expansão da banda larga, são essenciais para a infraestrutura. “Precisamos construir a infraestrutura de hoje, não consertar a de ontem”, disse Biden.

O presidente afirmou que recebeu uma carta de 23 senadores e 42 deputados, republicanos e democratas, apoiando o programa “Chips for America”. Na carta, os legisladores pediram que Biden usasse seu próximo pedido de orçamento para levar financiamento para pesquisa e desenvolvimento de semicondutores e outras iniciativas.

Eles também pediram que ele trabalhasse com aliados para “superar” os passos agressivos da China para construir sua própria indústria de chips, citando que Pequim “planeja agressivamente reorientar e dominar a cadeia de suprimentos de semicondutores”.

Na coletiva, Biden disse que o plano de infraestrutura visa a “construir a cadeia de abastecimento dos Estados Unidos para que nunca mais estejamos à mercê de outro país ou qualquer outra nação para as necessidades críticas”. O pacote inclui ainda estradas, pontes, ferrovias, sistemas de água potável e estações de recarga para veículos elétricos, entre outras medidas.

“O plano que proponho vai criar milhões de empregos, reconstruir os Estados Unidos, proteger nossas cadeias de abastecimento e revitalizar a manufatura norte-americana. E vai tornar a pesquisa e o desenvolvimento dos Estados Unidos um grande motor novamente”, disse.

Por fim, ele disse tratar-se de um momento de unidade, para que empresas e comunidades juntas possam enfrentar a competição global. “Estamos classificados em 25 lugar no mundo agora. Isso não é norte-americano”, concluiu.