Biden aparece oito pontos a frente de Trump em pesquisa da Fox

210

São Paulo – Se as eleições presidenciais norte-americanas fossem realizadas hoje, o democrata Joe Biden venceria o atual chefe da Casa Branca, Donald Trump, com oito pontos de vantagem, segundo pesquisa feita pela Fox News.

O levantamento mostra que o ex-vice-presidente dos Estados Unidos tem 48% de apoio, enquanto Trump aparece com 40% e 11% ainda estão indecisos. Em abril, o democrata e o republicano apareciam empatados com 42% das intenções de voto.

Entre os eleitores com 65 anos ou mais, Biden lidera por 17 pontos e administra uma vantagem de 13 pontos entre os independentes.

No que diz respeito à motivação, Biden tem uma vantagem de 53% para os 41% de Trump entre os eleitores que dizem que vão votar.

Em termos de blocos leais de apoio, 69% dos apoiadores de Biden dizem estar extremamente motivados para votar nas eleições de 3 de novembro contra os 61% dos apoiadores de Trump.

A pesquisa ouviu entre os dias 17 e 20 de maio 1.207 eleitores registrados e a margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos.

ECONOMIA X SAÚDE

A maioria dos eleitores norte-americanos está preocupada com a pandemia do novo coronavírus e como os rumos da economia do país. Diante desse cenário, pesquisa da Fox News mostra que o ex-presidente Joe Biden é mais confiável na saúde, enquanto o atual presidente Donald Trump se destaca quando na economia.

O levantamento mostrou que o democrata está 17 pontos à frente do republicano quando o assunto é saúde. Ele também tem nove pontos de vantagem quando o assunto é o novo coronavírus e seis pontos quando é China. Já Trump é mais confiável na economia, com três pontos de vantagem.

“Essa pode ser uma eleição em poucas palavras”, diz o democrata Chris Anderson, que conduz a pesquisa com o republicano Daron Shaw. “Trump tem uma pequena vantagem em um debate estreito sobre recuperação econômica, mas um debate sobre o novo coronavírus ou saúde pública beneficia mais amplamente Biden”.

Segundo a sondagem, 80% estão preocupados com a disseminação do novo coronavírus e 78% sentem que a economia está em mau estado.

Houve uma mudança sísmica de pontos de vista sobre a economia desde a pandemia. Em janeiro, os eleitores classificaram positivamente as condições econômicas por uma margem de 11 pontos: 55% acham excelente ou bom e 44% acham apenas razoável ou ruim. Agora, as visualizações são negativas em 58 pontos: 20% acham excelente ou bom e 78% acham razoável ou ruim.

A pesquisa foi realizada entre os dias 17 a 20 de maio com 1.207 eleitores registrados escolhidos aleatoriamente em todo o país, que falaram com entrevistadores ao vivo em telefones fixos e celulares. O levantamento tem uma margem de erro de 2,5 pontos percentuais para mais ou para menos.