BCE não discutiu redução de compra de ativos; seria prematuro, diz Lagarde

A presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde / Foto: BCE

São Paulo – O Conselho do Banco Central Europeu (BCE) não discutiu a redução de seu programa de compra de emergência pandêmica (PEPP, na sigla em inglês) de US$ 1,850 trilhão de euros, o que seria prematuro, disse a presidente da instituição, Christine Lagarde, em coletiva de imprensa.

“Deixe-me garantir que na ocasião desta reunião do Conselho nós não discutimos a redução do PEPP, porque seria simplesmente prematuro”, disse ela. “A determinação do ritmo de compras sob o PEPP é feito não com base em uma data ou calendário, mas é dependente de dados”, disse.

“A combinação de condições financeiras e perspectivas de inflação, estes dois elementos que são bem complexos por si só, vão determinar o ritmo de compras. Foi o que fizemos esta vez, e faremos novamente em junho, quando tivermos as projeções”, afirmou Lagarde.

Na decisão de hoje, o BCE manteve seus estímulos monetários inalterados, e reiterou esperar que “as compras ao abrigo do PEPP durante o trimestre atual continuem a ser realizadas a um ritmo significativamente mais elevado do que durante o primeiro meses do ano”.

Analistas consulados pela Agência CMA alertaram sobre a possível redução no ritmo de compra de ativos nos próximos meses, considerando a diminuição um caminho inevitável na medida em que a economia recupera-se da pandemia do novo coronavírus.

Segundo Lagarde, “seria legar mover em linha com o Fed, mas isso é pouco provável”. Para ela, “isso significaria que os números de inflação estariam alinhados”, mas os Estados Unidos estão mais perto de sua meta de preços, além de receber forte apoio de políticas fiscais. “Nós não estamos na mesma página que os Estados Unidos”.

Na semana passada, o presidente do Fed, Jerome Powell, disse que o banco iniciará a redução do seu programa de compra de ativos antes de qualquer ajuste na taxa básica de juros, mas isso só acontecerá quando a economia norte-americana tiver se recuperado completamente dos efeitos da crise provocada pela pandemia do novo coronavírus.

“Decidimos hoje continuar a prosseguir com este significativamente maior ritmo de compras”, disse Lagarde na coletiva, afirmando que o BCE vê “condições financeiras amplamente estáveis”, o que se reflete nas medidas que a instituição observa.

“O BCE não olha apelas juros de títulos reais ou nominais, mas tenta entender o fator original de movimentos para cima ou para baixo”, acrescentou ela.

Ao ser questionada sobre os números semanais de compras, que tem mostrado na na prática um aumento modesto, em torno de 20 bilhões de euros por semana em termos líquidos, Lagarde disse que eles “não são os números mais relevantes”.

Segundo ela o que importa mais são os números por mês, onde podemos entender a tendência, e estes dados mostra que “aumentamos significativamente o ritmo de compras”. Ela disse que o BCE também olha as compras líquidas. “Confiem em mim, as comparações mostram aumento”, acrescentou.