BCE mantém juros e estuda medidas para reforçar orientações futuras

Por Cristiana Euclydes

São Paulo – O Banco Central Europeu (BCE) manteve a taxa básica de juros em zero, a taxa de depósitos em -0,4% ao ano e a taxa da linha mantida com bancos comerciais para concessão de liquidez de curto prazo em 0,25% ao ano. O banco também disse que estuda opções para reforçar orientações futuras e reiniciar compras de ativos.

“O Conselho do BCE encarregou os comitês relevantes do Eurosistema de examinar opções, incluindo formas de reforçar as suas orientações futuras sobre taxas de política e medidas de mitigação, como a criação de um sistema escalonado de remuneração de reservas e opções para o tamanho e composição de potenciais novas aquisições de ativos líquidos”, diz o comunicado.

O BCE também acrescentou no comunicado que as taxas de juros podem permanecer “mais baixos” do que o nível atual até o primeiro semestre de 2020, ante afirmação anterior de que permaneceriam nos níveis atuais, ou durante o tempo necessário para levar a inflação à meta de perto, mas abaixo de 2% ao ano.

O BCE repetiu que continuará reinvestindo o valor principal dos títulos que atingirem o vencimento por um extenso período de tempo após a primeira alta nos juros.

O Conselho do BCE destacou ainda “a necessidade de uma postura altamente acomodatícia da política monetária durante um período de tempo prolongado, uma vez que as taxas de inflação, tanto realizadas como projetadas, têm estado persistentemente abaixo de níveis que estão em linha com a meta”.

Assim, “se as perspectivas de inflação no médio prazo continuarem aquém da meta, o Conselho do BCE está determinado a agir”, segundo comunicado. “Portanto, está pronto para ajustar todos os seus instrumentos, conforme apropriado, para assegurar que a inflação avance em direção ao seu objetivo de forma sustentada”.

O presidente do BCE, Mario Draghi, dará coletiva de imprensa às 9h30 para detalhar os motivos que levaram à decisão.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com