BC que desconsidera mudança climática descumpre mandato, diz Lagarde

A presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde / Foto: Martin Lamberts/BCE

São Paulo – Os bancos centrais precisam levar em consideração as mudanças climáticas em seu cálculo sobre as políticas monetárias e projeções econômicas, ou correm o risco de descumprir os próprios mandatos, disse a presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde.

“Nosso planeta está queimando, e nós banqueiros centrais podemos olhar o mandato e fingir que é para outros agirem, e que devemos simplesmente ser seguidores. Eu não acho isso. E eu digo isso porque acho que se fizéssemos isso, falharíamos no mandato”, disse ela durante a Green Swan Conference promovida pelo Banco de Compensações Internacionais (Bank of International Settlements, BIS).

Segundo ela, se os bancos centrais desconsiderarem o impacto das mudanças climáticas sobre as ferramentas de medição da inflação, a volatilidade econômica e o sistema financeiro, a transmissão da política monetária e os ativos e colaterais detidos pelas instituições, não conseguirão cumprir efetivamente sua missão.

“[A mudança climática] tem que ser levada em conta em todos os ramos da nossa atividade, seja em termo de modelagem, seja na estrutura da política monetária”, disse ela, acrescentando acreditar haver consenso entre os membros do conselho do BCE sobre este tipo de atuação.

Ela adiantou que entre as mudanças que devem ser feitas pelo BCE estão alterações em avisos que as instituições financeiras precisam fazer aos investidores e a incorporação de efeitos decorrentes das mudanças climáticas nas projeções feitas pelo BCE com horizonte de três anos – em vez de nos horizontes de 30 anos em que, em geral, as mudanças climáticas são inseridas.