BC afeta previsão para o dólar com nova metodologia da Focus

275

São Paulo, 15 de janeiro de 2021 – O Banco Central (BC) reformulou a metodologia da pesquisa Focus, que coleta semanalmente as estimativas do mercado para uma série de parâmetros econômicos. A partir da semana que vem, a instituição receberá previsões para períodos de tempo maiores e pedirá uma projeção diferente da taxa de câmbio às instituições.

Segundo o BC, a partir da próxima terça-feira, quando começa o período de coleta para o boletim Focus que será publicado no dia 25, as instituições financeiras consultadas deverão apresentar a estimativa para a média da taxa Ptax de venda de um dado período, e não mais a taxa vigente no último dia deste período.

Isso significa que a estimativa para a taxa de câmbio ao fim de cada ano não mais será definida pela projeção de qual será o valor do dólar no último dia de dezembro, e sim pela média da taxa de câmbio projetada para aquele mês.

Durante uma entrevista coletiva, o chefe do departamento de estatísticas do BC, Fernando Rocha, disse que com a mudança haverá um período de aproximadamente um mês contado a partir da próxima terça-feira em que as previsões para a taxa de câmbio na Focus passarão por um período de adaptação a esta nova metodologia.

Isso porque as instituições podem ficar até 30 dias sem atualizar as projeções para o câmbio antes que elas sejam descartadas pelo BC, e algumas das instituições podem deixar para atualizar os valores seguindo a nova metodologia apenas no final deste período de tolerância.

O BC também determinou que o IPCA passará a contar com horizonte de 25 meses, em vez dos 18 meses anteriores, enquanto Selic e câmbio serão coletadas para os próximos 24 meses. Para o PIB e seus componentes, o horizonte de projeções passará a contar com oito trimestres, em vez de seis.

O BC deixará de recolher previsões para IGP-DI, IPA-DI, IPA-M, INPC, IPCA-15 e IPC-Fipe, assim como para as taxas médias anuais de câmbio e Selic.