Banco do Japão flexibiliza meta para juros de títulos e compras de ações

O presidente do Banco do Japão, Haruhiko Kuroda / Foto: Banco do Japão

São Paulo – O Banco do Japão (BoJ) manteve sua taxa de depósitos em -0,1% e flexibilizou sua meta para juros de títulos de 10 anos do governo japonês, antes em zero, para permitir flutuações entre mais ou menos 0,25 ponto percentual (pp). O BoJ também descartou uma meta de compra para fundos de ações no final de uma revisão de política de três meses.

“A fim de conduzir o controle da curva de juros de maneira flexível durante os tempos normais, o Banco fará claro que o intervalo de flutuações de juros de títulos do governo japonês de 10 anos (JGB) estaria estar entre cerca de mais e menos 0,25% do nível de destino”, segundo comunicado.

Ao mesmo tempo, o BoJ irá introduzir operações de compra de taxa fixa para dias consecutivos como uma ferramenta para definir um limite máximo para as taxas de juros, quando necessário. O banco realiza o controle da curva de juros desde setembro de 2016.

Além disso, o banco central japonês abandonou sua meta de compras anuais de 6 trilhões de ienes de ETFs (fundo de índice, ou exchange-traded fund, em inglês) e de 90 bilhões de fundos imobiliários com cotas negociáveis em bolsa.

Em março de 2020, o BoJ havia dito que compraria de forma temporária o dobro destas quantidades, em meio à pandemia de covid-19.

Na decisão de hoje, o banco manteve o limite de compras anuais de ETFs em 12,0 trilhões de ienes, e o de compras anuais de fundos imobiliários com cotas negociáveis em bolsa em 180 bilhões de ienes.

“Enquanto esses limites superiores foram originalmente definidos como uma medida temporária em resposta ao impacto de o novo coronavírus (covid-19), o banco os manterá mesmo após a redução da covid-19”, de acordo com o comunicado.

A decisão de política monetária foi aprovada por oito votos a favor e um contrário. O banco vai manter seu afrouxamento monetário até alcançar a meta de inflação de 2% “pelo tempo que for necessário para manter esta meta de maneira estável”, e até então continuará expandindo a base monetária.

O BoJ vai continuar monitorando os impactos da pandemia de covid-19, e “não hesitará em tomar medidas adicionais de afrouxamento se necessário, e também espera que as taxas de juros de curto e longo prazo devem permanecer nos níveis atuais ou mais baixos.”

O BC japonês reiterou que continuará comprando sem limites os títulos do governo japonês. Quanto a commercial papers e títulos de empresas, as compras terão o limite de 20 trilhões de ienes no total até o final de setembro de 2021.

O BC japonês também anunciou o Esquema de Juros para Promover o Empréstimo, “com o objetivo de permitir ao banco reduzir agilmente as taxas de juros de curto e longo prazo, enquanto considera o impacto no funcionamento da intermediação financeira”.

Neste esquema, as taxas de juros, que irão estar vinculado à taxa de juros de política de curto prazo, serão aplicadas a um certo montante de saldos em conta corrente de instituições financeiras, segundo o comunicado.