Banco do Brasil aprova medidas de revisão de estrutura organizacional

184
Foto divulgação: Banco do Brasil

São Paulo – O Banco do Brasil aprovou uma série de medidas relacionadas à revisão e ao redimensionamento de sua estrutura organizacional, que devem ocorrer durante o primeiro semestre deste ano.

“A implementação plena das medidas ocorrerá durante o primeiro semestre de 2021 proporcionando ganhos de eficiência e otimização em 870 pontos de atendimento do país”, disse o banco em comunicado.

Entre as medidas que serão adotadas estão a desativação de 361 unidades, sendo 112 agências, 7 escritórios e 242 Postos de Atendimento (PA). A conversão de 243 agências em PA e outros 8 PA serão transformados em agências. A transformação de 145 unidades de negócios em Lojas BB, sem a oferta de guichês de caixa, com maior vocação para assessoria e relacionamento.

O banco também fará a relocalização compartilhada de 85 unidades de negócios, a criação de 28 unidades de negócios, sendo 14 Agências Especializadas Agro e 14 Escritórios Leve Digital (unidades especializadas no atendimento a clientes com maturidade digital), com aproveitamento de espaços existentes, não envolvendo contratação ou locação de novos imóveis.

“A economia líquida anual estimada com despesas administrativas gerada por estes movimentos é de R$ 353 milhões em 2021 e R$ 2,7 bilhões até 2025”, disse o Banco do Brasil.

Também foram aprovadas duas modalidades de desligamento incentivado voluntário aos funcionários, o Programa de Adequação de Quadros (PAQ) a fim de otimizar a distribuição da força de trabalho, equacionando as situações de vagas e excessos nas unidades do banco, e o Programa de Desligamento Extraordinário (PDE), disponível a todos os funcionários do BB que atenderem aos pré-requisitos.

A estimativa do BB é que cerca de 5 mil funcionários venham a aderir aos dois programas de desligamento.

“O número final de adesões, assim como o respectivo impacto financeiro, serão informados ao mercado após o encerramento dos períodos de adesão que ocorrerá até 5 de fevereiro”, afirmou o BB.