Banco da Inglaterra testa resiliência de bancos a riscos climáticos

O presidente do Banco da Inglaterra, Andrew Bailey / Foto: Banco da Inglaterra

São Paulo – O Banco da Inglaterra (BoE) lançou os primeiros testes para explorar os riscos financeiros impostos pelas mudanças climáticas para os maiores bancos e seguradoras do Reino Unido ao longo dos próximos 30 anos.

O teste, que será realizado de dois em dois anos, explora os dois principais riscos das mudanças climáticas: os chamados riscos de transição, decorrentes das mudanças estruturais significativas para a economia necessárias para atingir as emissões líquidas zero, e os riscos físicos, associados a maiores temperaturas globais.

Segundo o BoE, trata-se de um exercício exploratório, e não será usado pelo banco para definir requisitos de capital. Alguns cenários mostram o caminho mais eficiente para o zero líquido, enquanto outros destacam os riscos de ação tardia ou insuficiente. Os resultados serão publicados em maio de 2022.

“É um exercício novo, pois as empresas terão que se envolver intimamente com suas contrapartes para obter dados detalhados sobre as exposições dessas contrapartes a esses riscos”, de acordo com o presidente do BoE, Andrew Bailey, em comunicado.

“Isso estenderá o horizonte de tempo no qual os bancos e seguradoras avaliam esses riscos e exigirá que construam seus próprios recursos de análise de cenário, ajudando-os a compreender melhor como estão expostos a diferentes caminhos climáticos potenciais. O resultado final será uma gestão mais robusta dos riscos financeiros relacionados ao clima em todo o setor”.