Banco central do Japão introduz linha de crédito para mudanças climáticas

O presidente do Banco do Japão, Haruhiko Kuroda / Foto: Banco do Japão

São Paulo, 18 de junho de 2021 – O Banco do Japão (BoJ) manteve a taxa de depósitos em -0,1% e a meta para juros de 10 anos perto de zero, ao mesmo tempo em que anunciou uma linha de crédito para ajudar bancos a se protegerem de mudanças climáticas e ampliou o prazo de um programa especial para empresas afetadas pela pandemia de covid-19.

A decisão foi aprovada por oito votos a favor e uma abstenção. O BoJ reiterou que continuará comprando sem limites os títulos do governo japonês, e manteve o limite de compras anuais de ETFs (fundo de índice, ou exchange-traded fund, em inglês) em 12,0 trilhões de ienes e o de compras anuais de fundos imobiliários com cotas negociáveis em bolsa em 180 bilhões de ienes.

O banco também manterá o limite de compras de commercial papers e de títulos de empresas em cerca de 20 trilhões de ienes no total até o final de março de 2022.

“O banco acompanhará de perto o impacto da covid-19 e não hesitará em tomar medidas adicionais de afrouxamento, se necessário, e também espera que as taxas de juros de políticas de curto e longo prazo permaneçam em seus níveis atuais ou inferiores”.

O BoJ anunciou ainda a introdução de uma nova medida de provisionamento de fundos para apoiar as instituições financeiras privadas em esforços relacionados a mudança climática. A linha de crédito “fornecerá recursos para instituições financeiras para investimento ou empréstimos que eles fazem para lidar com questões de mudança climática com base em suas próprias decisões”.

Embora o desembolso do empréstimo no âmbito da medida existente continue até junho de 2022 conforme programado, o banco lançará a nova medida provavelmente em 2021, e tornará público o esboço preliminar da medida em julho.

Além disso, em um comunicado separado, o BoJ anunciou a extensão das operações de fornecimento de fundos especiais para facilitar o financiamento em resposta ao novo coronavírus para março de 2022, ante prazo anterior de setembro de 2021.

Com relação aos preços, as expectativas de inflação permaneceram inalteradas, e a taxa anual no índice de preços ao consumidor recentemente foi afetada pela covid-19 e por uma redução nas tarifas de telefonia móvel, apesar de um aumento nos preços da energia.

Por fim, o banco afirmou que o nível de atividade econômica no Japão, principalmente no setor de serviços, deve ser menor do que antes da pandemia por enquanto. “A economia deve se recuperar, com o impacto da covid-19 diminuindo gradualmente e apoiado por um aumento na demanda externa, condições financeiras acomodatícias e medidas do governo”.