Banco central da Rússia mantém taxa de juros inalterada em 4,25%

107
Foto: Ann Key/ freeimages.com

São Paulo – O banco central da Rússia manteve a taxa básica de juros do país em 4,25%, seu menor nível pós-soviético, citando que os preços estão em alta e que a recuperação da economia do país da crise provocada pela pandemia de covid-19 está em andamento.

“As restrições do lado da oferta continuam em vigor e continuam a exercer pressão de alta sobre os preços. As expectativas de inflação das famílias e empresas permanecem elevadas”, diz o BC russo, em comunicado. “Riscos deflacionários não prevalecem mais ao longo do horizonte de 2021”.

Segundo o comunicado, a inflação está se desenvolvendo acima da previsão do Banco da Rússia. Em janeiro, a taxa de crescimento anual dos preços ao consumidor subiu para 5,2%, de 4,9% em dezembro. O banco prevê inflação este ano entre 3,7% e 4,2%, permanecendo próxima a 4% no médio prazo.

“O Banco da Rússia determinará o cronograma e o ritmo de um retorno à política monetária neutra”, segundo o comunicado, levando em consideração o movimento de preços e riscos impostos pelas condições internas e externas e pela reação dos mercados financeiros.

O BC prevê que a economia russa deve crescer entre 3% e 4% este ano, entre 2,5% e 3,5% em 2022 e entre 2% e 3% em 2031. “Os indicadores de alta frequência da atividade econômica sugerem que a recuperação econômica no início de 2021 está em andamento”, ainda que a escala dessa recuperação continue variando entre os setores.

“A trajetória de crescimento econômico de médio prazo será amplamente influenciada por novos desenvolvimentos da pandemia do novo coronavírus na Rússia e globalmente, a natureza da recuperação da demanda privada no contexto de mudança potencial no comportamento do consumidor e das empresas, bem como pela trajetória de consolidação do orçamento”.