B3 e Anbima propõem atualização da agenda para o mercado de capitais

São Paulo – A B3 e a Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima) disseram que a agenda para o desenvolvimento do mercado de capitais no atual contexto de crise deve incluir iniciativas de caráter microeconômico e ajustes regulatórios e atacar os seguintes desafios: a diversificação da base de investidores; a ampliação da base de emissores; o desenvolvimento do mercado secundário de renda fixa; e o fomento à securitização.

“O desenvolvimento do mercado de capitais é urgente e importante no sentido de apoiar o país na retomada do crescimento econômico. Alocar cada vez mais a poupança do brasileiro em valores mobiliários permitirá que os investidores tenham mais possibilidades de diversificação de carteira enquanto as empresas passam a ter acesso a estruturas de financiamento de longo prazo mais previsíveis quanto ao custo e mais aderentes às suas necessidades”, disse Gilson Finkelsztain, presidente da B3.

Em nota, as entidades disseram que vão debater as propostas no primeiro painel do Congresso Brasileiro de Mercado de Capitais, hoje, às 18h, com o objetivo de atualizar a agenda de desenvolvimento do mercado de capitais, material lançado em 2018 e entregue às equipes econômicas dos então candidatos à presidência do Brasil.