Avaliação negativa de Bolsonaro sobe de 27% para 36%, diz pesquisa da CNT/MDA

143
Coletiva de Imprensa do Presidente da República, Jair Bolsonaro e Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. (Foto: Isac Nóbrega/PR)

São Paulo – A avaliação sobre o governo do presidente Jair Bolsonaro piorou em fevereiro na comparação com outubro do ano passado, com o percentual de pessoas que consideram a administração ruim ou péssima passando de 27% para 36%, segundo pesquisa da Confederação Nacional do Transporte (CNT) e do instituto MDA. A avaliação positiva caiu de 41% para 33%.

A taxa de aprovação do presidente, segundo o levantamento, também diminuiu – de 52,0% para 43,5%, enquanto a de reprovação aumentou de 43,2% para 51,4%. Foram ouvidas 2.002 pessoas entre os dias 18 e 20 de fevereiro. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais (pp).

A pesquisa mostrou também que os entrevistados consideram como principais qualidades do presidente Jair Bolsonaro ser sincero (29,3%), honesto (11,3%), e inteligente (8,4%), embora 33% considerem que o presidente não tem nenhuma qualidade. Entre os defeitos, estão ser mal-educado (20,1%), despreparado (17,6%), e autoritário (16,6%). Para 9,6% dos pesquisados, Bolsonaro não tem defeito.

O levantamento também mostrou que para 64,7% dos brasileiros o envolvimento de Bolsonaro em embates públicos com a imprensa é ruim para o país e para 60,5% o presidente deveria buscar se aproximar mais da imprensa.

Os entrevistados disseram que o veículo de comunicação que mais confiam é a TV Globo (25,7%), a mais criticada pelo presidente. Na sequência, aparecem: Record TV (13,0%), SBT (5,6%), Globo.com/G1 (3,7%), TV Band (3,1%) e Uol (2,9%).