Avaliação dos jatos da Boeing liberados nos EUA continua no Brasil

Segundo a Anac, o operador brasileiro da aeronave é a Gol Linhas Aéreas, que participa do processo de avaliação

132
Foto divulgação: Gol Linhas Aéreas

São Paulo – A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) disse que a liberação para retorno das operações das aeronaves modelo Boeing 737-8 MAX no Brasil ainda depende de ajustes finais no processo de validação das modificações do projeto em relação à comprovação da segurança e outros requisitos necessários, disse o órgão.

A informação repercute a decisão da Federal Aviation Administration (FAA), autoridade de aviação civil norte-americana, que aprovou as modificações necessárias para que a aeronave volte a ser operada nos Estados Unidos para voos de passageiros novamente, depois de dois acidentes que tiraram 346 vidas.

“A partir desta diretriz da FAA, a Anac procederá com os ajustes finais para conclusão do processo de validação para retorno do modelo Boeing 737- 8 MAX no Brasil. Após o término desse trabalho, o operador brasileiro da aeronave, que atualmente é a GOL Linhas Aéreas, deverá incorporar e demonstrar de forma satisfatória o cumprimento de todas as novas diretrizes, tanto em termos de projeto quanto de treinamento de pilotos”, disse, em nota.

Os Estados Unidos aprovaram a liberação dos jatos 737 Max da Boeing Co. para voos de passageiros novamente depois que dois acidentes tiraram 346 vidas, emitindo um conjunto de diretrizes de segurança há muito esperadas e avisos para companhias aéreas em todo o mundo que ajudarão a resolver a maior crise pré-pandêmica da fabricante.

A Anac informou que participou do trabalho realizado em conjunto com outras autoridades de aviação civil no mundo e que resultou na autorização, em especial a autoridade europeia European Aviation Safety Agency (EASA) e a canadense Transport Canada Civil Aviation (TCCA).