Atividade do setor de construção cai pelo 3º mês seguido em fevereiro, diz CNI

São Paulo – O índice de atividade do setor de construção ficou estável em 45,9 pontos em fevereiro ante janeiro, segundo a Confederação Nacional da Indústria (CNI). A leitura, inferior a 50 pontos, denota contração da atividade, e ficou abaixo daquela marca pelo terceiro mês consecutivo.

O gerente de Análise Econômica da CNI, Marcelo Azevedo, disse que a contração no início do ano é usual para o setor, mas que “a segunda onda da pandemia e a necessidade de novas medidas de restrição de circulação, além da indefinição sobre a aprovação das reformas estruturais, como a tributária, criaram um ambiente de incertezas, que se reflete nas pesquisas.”

Ele acrescentou que, no caso da construção civil, apesar do resultado negativo do indicador, alguns fatores mostraram a solidez do setor em fevereiro, como a Utilização da Capacidade Operacional (UCO), que se manteve em 61% – maior percentual para o período desde 2014.

A confiança do empresário da construção caiu 5,5 pontos em março em relação a fevereiro, para 52,2 pontos, acima da linha de corte, o que indica confiança. Mas a queda acentuada levou o índice para baixo da média histórica. A intenção de investir também registrou queda de 3,2 pontos e ficou em 38,5 pontos, mas está acima da média histórica de 34,8 pontos.