Assembleia de MG pede a suspensão da venda da Taesa até fim da CPI

São Paulo – A Assembleia Legislativa de Minas Gerais aprovou o pedido de suspensão da venda da transmissora de energia elétrica Transmissora Aliança de Energia Elétrica (Taesa), pela Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), que detém 21,68% da companhia, até a conclusão dos trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que apura irregularidades na prestação de contas da estatal.

A proposição, de autoria dos deputados Professor Cleiton, Sávio Souza Cruz e Beatriz Cerqueira, será encaminhada à Cemig, ao governador Romeu Zema (Novo) e à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e foi aprovada nesta segunda-feira (12), pela Comissão de Fiscalização Financeira e Orçamentária (FFO) do parlamento mineiro.

A abertura da CPI foi aprovada em 16 de junho pela assembleia mineira, para apurar supostas irregularidades investigadas pelo Ministério Público, avaliadas em R$ 1 bilhão em operações que envolvem a venda de participação da Cemig na Light (RJ), Renova (SP) e na Taesa, dispensas de licitação para contratação de empresas, entre outras.

A ação preferencial da Cemig (CMIG4) fechou o pregão em queda de 2,05%, a R$ 11,89, enquanto a unit da Taesa (TAEE11) em leve alta, de 0,80%, a R$ 37,74.