Aposta de corte de juros nos EUA em outubro cai após dados de emprego

210
Prédio do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) em Washington. Foto: Divulgação/ Federal Reserve

Por Cristiana Euclydes

São Paulo, 4 de outubro de 2019 – Os investidores reduziram as apostas num
corte da taxa básica de juros dos Estados Unidos neste mês, após de dados de emprego mistos em setembro, com menor abertura de vagas de emprego, mas a menor taxa de desemprego do país em 50 anos.

Segundo o CME Group, as negociações com contratos futuros de juros mostram que o mercado considera uma probabilidade de 76,4% de o Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) reduzir a taxa básica em 0,25 ponto porcentual em 30 de outubro, para a faixa de 1,50% a 1,75% ao ano. Ontem, essa probabilidade estava em 88,7%, e há uma semana em 49,2%.

Os dados do Departamento do Trabalho norte-americano mostraram que, em setembro, foram abertas 136 mil vagas de trabalho no país, abaixo das 168 mil vagas criadas em agosto e da previsão do mercado, que esperava 140 mil novos postos. Já a taxa de desemprego caiu de 3,7% para 3,5%, o menor nível desde dezembro de 1969.

O componente salarial decepcionou, sem aumento da média de salário por hora em setembro em base mensal, correspondendo a alta de 2,9% em base anual. Porém, “outros indicadores do mercado de trabalho ainda apontam para um núcleo de inflação mais alto nos próximos meses”, disse o analista do Nordea, Morten Lund.

“Os mercados consideram que este é um relatório “decente” do payroll não agrícola, já que as expectativas de um relatório ruim foram crescendo após os números fracos do ISM”, acrescentou ele. O índice ISM de atividade industrial do país de setembro caiu para seu menor nível desde junho de 2009, e o de serviços também desacelerou.