Após surto de covid, petroleiros da Petrobras interrompem greve

A Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar). (Foto: André Valentim/Agência Petrobras)

São Paulo – Depois de iniciarem uma greve ontem (22) em função de um surto de covid-19 na Refinaria Gabriel Passos (Regap), localizada em Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte (MG), os petroleiros da unidade decidiram pela suspensão da paralisação e manutenção das negociações com a Petrobras.

A diretoria do Sindicato dos Petroleiros de Minas Gerais (Sindipetro-MG) defendeu o indicativo favorável à suspensão ao considerar que houve avanço no diálogo com a Petrobras relativo à segurança da categoria. Assim, a interrupção da greve foi aprovada por 89% dos votos, com 6% contrários e 5% de abstenções.

Para o coordenador geral do Sindipetro-MG, Alexandre Finamori, a mobilização da categoria e as denúncias do sindicato forçaram a gerência da Regap a sentar e negociar com o sindicato. “É bom lembrar que, além das alterações na gestão das paradas de manutenção, as negociações sobre a nossa pauta local de reivindicações serão retomadas”, disse, de acordo com nota do sindicato.

Os petroleiros alegam que houve descumprimento de protocolos de segurança para prevenção à pandemia de coronavírus nas instalações da Regap, especialmente em setores em parada de manutenção. A chegada de novos funcionários em função da manutenção gerou focos de aglomeração na refinaria.

O sindicato afirma que, somente no mês de março, 200 funcionários testaram positivo para covid-19, com 12 internações.