Apimec manifesta preocupação com incertezas na Petrobras

Foto: Divulgação/Petrobras

São Paulo – A Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais (Apimec) se pronunciou sobre a situação da Petrobras, que virou alvo de investigação na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) por uso de informação privilegiada nos negócios com ações da estatal no episódio envolvendo o anúncio de troca na presidência da companhia.

No dia 18 de fevereiro, um operador comprou um volume grande de opções, apostando na queda de valor das ações, poucas horas antes de o presidente Jair Bolsonaro anunciar que faria mudanças na empresa. Após o anúncio, as ações da Petrobras caíram.

Em nota, a associação cita que “a busca ou o uso de informação privilegiada é vedada e constitui-se em falta gravíssima.”

A associação também critica um quadro de incertezas criado em torno da estatal e ressalta que isso só “favorece a aversão ao risco e isto vai contra o atual estágio de desenvolvimento do mercado em que evoluímos de 600 mil para 3 milhões de investidores pessoa física.”

A Apimec ainda ressalta que é necessário aprimorar sempre “os mecanismos de funcionamento do mercado de capitais, parte importante de um processo de crescimento econômico sustentado. Para as sociedades de economia mista, boas práticas de governança e segurança jurídica vão além da essencialidade da legislação societária complementada pela Lei 13.303.”

“A insegurança inibe decisões de investimentos internas e afasta poupança externa. A Apimec Brasil manifesta sua preocupação com esse quadro de incerteza gerado, tendo em vista a importância e a representatividade da Petrobras para o mercado”, disse a Apimec em nota.