Americanas SA buscará crescimento em quatro áreas

Foto divulgação: B2W

São Paulo – A estratégia de crescimento orgânico da companhia combinada entre Lojas Americanas e B2W, a Americanas SA, envolverá as plataforma de consumo, fintech, tecnologia e inovação e logística, disseram os executivos das companhias, em teleconferência com investidores.

A Americanas SA tem 1,7 mil lojas em 765 cidades, volume bruto de mercadorias (GMV, na sigla em inglês) de R$ 40 bilhões e ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) de R$ 3,3 bilhões em 2020, que permitirá investir na expansão da empresa, disseram os executivos.

A plataforma digital tem 87,3 mil vendedores (sellers) e 4,6 bilhões de visitantes anuais.

A empresa identificou 300 mil metros quadrados (m/2) em áreas disponíveis nas lojas físicas para atender as operações seu marketplace e avalia que isso permitirá realizar entregas que hoje são realizadas em três horas em minutos.

Na área de governança, 40% dos membros do conselho de administração da companhia combinada são independentes e terá comitês de assessoramento para assessorar o colegiado na implementação da estratégia de longo prazo.

“Enxergamos muitas oportunidades com a integração dos estoques, passando a olhar o físico e o online como uma única operação, tanto em estoque, quanto em sortimento. A fusão traz uma simplificação à operação que permitirá tomar soluções mais rápidas”, disse Miguel Gutierrez, diretor-presidente e diretor de relações com investidores da nova companhia.

Ontem, as assembleias gerais extraordinárias realizadas pelas duas empresas aprovavam a proposta de fusão, que prevê a cisão parcial do capital social da Lojas Americanas e transferência da parcela cindida para a B2W.

As atividades operacionais das companhias passarão a ser desenvolvidas diretamente pela B2W, que passará a adotar a denominação Americanas S.A. e o código de negociação na B3 será modificado para AMER3, nos termos definidos pelo protocolo e justificação firmado pelas companhias em 28 de abril.

Em virtude da aprovação, os conselhos de administração das empresas elegeram para mandato até 2024, os novos diretores executivos Miguel Gomes Pereira Sarmiento Gutierrez, que acumula a presidência e a diretoria de Relações com Investidores da companhia, Anna Christina Ramos Saicali (plataforma de inovação e fintech), José Timotheo de Barros (plataforma física) e Marcio Cruz Meirelles (plataforma digital).

E para compor o conselho de administração da companhia até 2023 e em substituição aos atuais membros titulares, foram eleitos Eduardo Saggioro Garcia (presidente), Carlos Alberto da Veiga Sicupira, Cláudio Moniz Barreto Garcia, Paulo Alberto Lemann e os membros independentes Sidney Victor da Costa Breyer, Mauro Muratório Not e Vanessa Claro Lopes.