Ambev prevê melhora da economia e aposta em nova estratégia

Foto divulgação: Ambev

São Paulo – Apesar da inflação, a Ambev está otimista com a recuperação da economia doméstica conforme a vacinação contra a covid-19 avança, o que deve impactar positivamente as suas vendas de cerveja nos próximos meses.

“O segmento de cerveja no Brasil está em bom momento. Claramente, o Brasil está em uma trajetória ascendente trimestre a trimestre. Boas notícias vão seguir com a vacinação ocorrendo em larga escala, os eventos sociais vão aumentar. Estou bastante confiante que estamos na trajetória correta”, afirmou o diretor-presidente da Ambev, Jean Jereissati, em teleconferência de resultados.

A companhia também afirmou que está revendo a sua estratégia e quer ser uma empresa mais moderna, usando tecnologia e plataformas online, como o BEES (para clientes) e o Zé Delivery (para consumidores).

A expectativa é que essas plataformas tragam mais dados sobre consumo e aumentem a receita da companhia, que ainda afirmou que vê chances de oferecer serviços financeiros, como crédito para compra de equipamentos para clientes, por meio do BEES.

“Estamos revendo e atualizando nossa estratégia, queremos não só ser uma empresa de bebidas, mas nos transformar em uma plataforma, com marcas que inspirem e com grande aposta na tecnologia. Estamos indo nessa direção”, afirmou Jeressaiti.

Em relação ao Zé Delivery, o executivo afirmou que estão apostando na entrega rápida de cerveja a preço de mercado, em meia hora, e que ainda veem espaço para crescimento e pretendem investir nessa braço Também afirmou que avaliam crescer em assinaturas de cervejas, que poderia ser feito por outro aplicativo. “O BEES e o Zé Delivery nos dão muita visibilidade e granularidade para aumentarmos nossa capacidade de receita”, completou.

CUSTOS

A empresa ainda afirmou que teve uma melhora no custo por hectolitro no segundo semestre, o que refletiu um melhor mix e maior volume de vasilhames reutilizáveis, que está acelerando. “O mix melhor compensa o custo de commodities não hedgeadas”, disse o diretor financeiro, Lucas Lira.

A previsão da Ambev é também que a pressão inflacionária que está sendo sentida agora, possa ser menor em 2022 do que em 2021. A companhia ainda vê preços de commodities elevados, mas afirma que o câmbio deve pressionar menos, já que entrará em melhor posição cambial no ano que vem.