AIE revisa para cima projeção de demanda global de petróleo em relatório

Foto: Carlo Winkelmann/ freeimages.com

São Paulo – A Agência Internacional de Energia (AIE) revisou para cima sua previsão de demanda global de petróleo em 230 mil barris por dia (bpd) para um total de 5,7 milhões de bpd.

A mudança ocorre um ano depois que a pandemia do coronavírus e a guerra de preços desencadearam um dos piores meses da história do petróleo bruto. Segundo a agência, o mercado global de energia está se recuperando.

Embora a estimativa de recuperação da organização com sede em Paris ainda deixe a demanda 3% abaixo dos níveis de 2019, os investidores devem interpretar a previsão de maior demanda como um sinal de que o consumo está se recuperando.

A AIE disse que “o enorme excesso de estoque global de petróleo acumulado durante o choque de demanda da covid-19 no ano passado está encolhendo, as campanhas de vacinação estão ganhando impulso e a economia global parece estar em ascensão.”

A IEA aludiu às melhores perspectivas do Fundo Monetário Internacional para o crescimento econômico para este ano, mas disse que a recuperação continua frágil, como evidenciado pelo novo aumento das infecções por coronavírus em partes da Europa e do Brasil.

Os preços do petróleo dispararam entre outubro e março, mas a recuperação desacelerou nas últimas semanas em meio a novas restrições ligadas à pandemia e à estagnação da recuperação em algumas áreas da Europa.

Agora que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e seus aliados vão aumentar a produção coletiva em mais de 2,0 milhões de bpd nos próximos meses, “os preços podem ficar sob pressão novamente quando a oferta mundial de petróleo aumentar e o mercado passar do déficit ao equilíbrio”, disse a AIE.

A agência reduziu sua previsão de crescimento da oferta de países não pertencentes à OPEP para um aumento de 610 mil bpd este ano. O fornecimento dos Estados Unidos cairá 100 mil bpd este ano.

Dado que o mercado de petróleo deve ter um segundo semestre melhor, os 6,0 milhões de barris por dia da OPEP de capacidade adicional – um número que não inclui os 1,5 milhão de barris por dia do Irã enquanto Teerã negocia para retornar ao pacto nuclear de 2015 com os Estados Unidos Estados – implica que os produtores do cartel terão flexibilidade para lidar com as mudanças na demanda, disse a AIE.

Mesmo assim, os países ricos da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico tinham cerca de 3 bilhões de barris de petróleo estocados em fevereiro e “o mercado não enfrenta uma escassez iminente de oferta”, acrescentou a agência em seu relatório.