Agenda da CPI da covid muda e Barra Torres será ouvido dia 11

O vice-presidente da CPI da Pandemia, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), o presidente da comissão, Omar Aziz (PSD-AM), e o relator, Renan Calheiros (MDB-AL). (Foto Jefferson Rudy/Agência Senado)

São Paulo – A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que apura se houve erro ou omissão do governo no combate à covid-19 adiou o depoimento do diretor-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Antônio Barra Torres, para a próxima terça-feira (11). Ele seria ouvido hoje, mas a audiência com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, se estendeu para além do horário previsto. A sessão está suspensa no momento, mas será retomada em breve.

Com a mudança na agenda, o depoimento do ex-secretário de comunicação do Planalto Fábio Wajngarten foi deslocado de terça para quarta-feira (12), enquanto o do presidente da Pfizer para a América Latina, Carlos Murillo, passou de quarta para quinta-feira (13) – mesmo dia em que deve ser ouvido o ex-ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo.

Antes, estava previsto que na quarta-feira seriam ouvidas autoridades do Instituto Butantan e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e na quinta-feira, além de Araújo, um representante da fabricante da vacina Sputnik V.