Ações do Magazine Luiza ampliam alta e sobem mais de 7% após balanço forte

171

Por Danielle Fonseca

São Paulo – As ações do Magazine Luiza aceleraram os ganhos e sobem mais de 7%, na maior alta do Ibovespa, refletindo resultados trimestrais melhores do que o esperado pelo mercado no terceiro trimestre. Às 14h38 (horário de Brasília), as ações da varejista (MGLU3) subiam 7,12%, a R$ 44,08.

Fachada de Loja do Magine Luiza

Para os analistas do BTG Pactual os números foram sólidos, com destaque para um surpreendente crescimento do e-commerce. “Graças a uma impressionante e bem sucedida jornada nos últimos anos, o Magazine Luiza é visto pelo mercado como um dos potenciais ganhadores do e-commerce brasileiro”, disseram os analistas do BTG, em relatório.

Eles afirmam que a base da sua visão otimista sobre a empresa (que é preferida do BTG no seu universo de cobertura) é a estimativa de que o e-commerce continuará crescimento a uma boa taxa, chegando a triplicar até 2025, e aumentando a penetração sobre as vendas totais. Além disso, como em mercados mais maduros, acreditam que haverá uma tendência de consolidação à frente no setor, com apenas alguns potenciais ganhadores, dentre os quais a empresa.

Os analistas da XP Investimentos também viram resultados sólidos e positivos, destacando o lucro acima do esperado. “Entretanto, nós vemos um potencial de valorização das ações relativamente limitado nos níveis atuais”, disseram em relatório, o que faz com que mantenham a recomendação neutra para os papéis.

Já o BB Investimentos afirma que os resultados surpreenderam positivamente na comparação com as suas estimativas. “A Magalu continua se destacando de seus pares devido à sua capacidade de entrega trimestre após trimestre, motivo pelo qual mantemos a recomendação Outperform [equivalente à compra] e nosso preço-alvo 20E em R$ 43,90.

O lucro líquido ajustado do Magazine Luiza cresceu 12,7% no terceiro trimestre deste ano, na comparação com o mesmo período de 2018, para R$ 136,3 milhões, enquanto a receita líquida da empresa teve avanço de 32,5% para R$ 4,864 bilhões.