Ações do Banco do Brasil mostram volatilidade após renúncia de Brandão

Foto divulgação: Banco do Brasil

São Paulo – As ações do Banco do Brasil passaram a cair após abrirem o pregão em leve alta digerindo a notícia de que o presidente do banco, André Brandão, renunciou ao cargo ontem à noite. O atual diretor presidente do BB Consórcios, Fausto Ribeiro, já foi indicado pelo governo para assumir o cargo. A indicação será analisada pelo comitê de pessoas, remuneração e elegibilidade do BB.

Às 10h49 (horário de Brasília), os papéis (BBAS3) tinham queda de 0,95%, a R$ 30,15, após terem atingido a máxima de R$ 30,93 mais cedo, mostrando volatilidade nesta manhã.

Segundo analistas, o impacto nas ações pode não ser tão negativo já que a saída de Brandão já era esperada e foi, em parte, precificada, embora existam dúvidas sobre como será a gestão de Ribeiro.

“O evento dificilmente será surpresa para os investidores, já que a renúncia vem sendo especulada pela mídia há semanas. Aliás, ressaltamos que as ações do Banco do Brasil caíram 20% no acumulado do ano, o que acreditamos ter sido fortemente afetado por essas especulações e precificando parcialmente o movimento”, disse o analista do setor financeiro da XP Investimentos, Marcel Campos, em relatório.

Porém, acredita que a mudança é negativa, já que Brandão era um respeitado veterano do mercado com mais de 30 anos de experiência no setor e há um possível aumento no risco político percebido pelos investidores. Ribeiro, por sua vez, tem uma longa carreira no banco, ocupando uma gama diferente de cargos de alto nível.

Os rumores sobre a saída do executivo, que circulavam desde o anúncio do plano de reestruturação da companhia, em 11 de janeiro, em que informou o fechamento de mais de 360 unidades e a demissão de 5 mil funcionários, o que desagradou o presidente Jair Bolsonaro.

A companhia reiterou sua permanência e o plano de reestruturação em comunicados em diversas ocasiões em janeiro e fevereiro, inclusive na teleconferência de resultados de 2020.