Ações de bancos e seguradoras avançam após decisão do Copom

Foto: Paul Pasieczny / freeimages.com

São Paulo – Os papéis de bancos e seguradoras estão entre as maiores altas do Ibovespa hoje depois que o Comitê de Política Monetária (Copom) decidiu elevar a Selic em 0,75 ponto percentual ontem, para 2,75% ao ano, além de sinalizar que mais altas podem vir por aí.

Segundo os analistas da XP Investimentos, os bancos são diretamente beneficiados por uma elevação da taxa Selic devido à diferença entre o custo de captação e os juros cobrados dos clientes, atrelado ao spread bancário.

“Com uma alta na taxa básica de juros, bancos tendem a aplicar uma taxa maior em empréstimos, porém, o reajuste nos custos de captação é mais lento. Em outras palavras, a diferença entre o que os bancos recebem e pagam fica maior”, explicaram, em relatório.

Já as seguradoras, além da receita operacional que vem da venda de seguros, têm como outra fonte relevante de receita as aplicações feitas no mercado financeiro. Como uma grande parte dessas aplicações são em renda fixa com rendimentos atrelados à Selic, uma alta na taxa básica de juros leva a maiores retornos sobre o capital investido.

Os analistas ainda veem benefícios dos juros mais altos para as empresas importadoras, movimento que acontece pela diferença dos juros entre o Brasil e outros países. “Os juros mais altos por aqui atraem investidores estrangeiros em busca de rentabilidade, o que leva à maior entrada de dólares na nossa economia e, como resultado, o real se aprecia. Além disso, empresas logísticas portuárias se beneficiam da armazenagem de produtos importados enquanto estes permanecem no porto”, disseram.

Às 13h20 (horário de Brasília), as maiores altas do Ibovespa eram da Sul América (SULA11 +3,40%), IRB Brasil (IRBR3 +3,89%) e da B3 (B3SA3 + 4,15%). Em seguida, aparecem as ações como Santander (SANB11 3,09%), Bradesco (BBDC4 2,30%), BB Seguridade (BBSE3 1,85%) e Itaú Unibanco (ITUB4 1,75%)..