Ação da CVC sobe após BofA elevar recomendação de venda para compra

Foto divulgação: CVC Viagens

São Paulo – As ações da CVC estavam entre as maiores altas do Ibovespa depois que o Bank of America elevou a recomendação para os papéis de “underperform” (equivalente à venda) para compra, com preço-alvo de R$ 33,00. Às 12h00 (horário de Brasília), as ações da companhia (CVCB3) tinham alta de 2,27%, a R$ 28,28, após chegarem a subir cerca de 5% perto da abertura do pregão.

Os analistas do banco levaram em consideração que, nos últimos nove meses, a CVC rolou com sucesso sua dívida e emitiu R$ 666 milhões em ações, além disso, o aumento de capital anunciado de até R$ 480 milhões deve fortalecer ainda mais o balanço da companhia.

A avaliação é que as medidas ajudam a garantir a sobrevivência da CVC e posicionam a empresa para financiar o seu crescimento à medida que as viagens se recuperam. “A tábua de salvação da CVC no mercado financeiro também está permitindo ganhos de participação de mercado, já que rivais mais fracos lutam para obter financiamento ou saem da indústria”, disseram ainda os analistas, em relatório.

Segundo o BofA, a expectativa é que ocorra uma recuperação mais rápida nos destinos domésticos de lazer da CVC, enquanto a demanda internacional de lazer e negócios deve ficar atrás do lazer doméstico em 12 a 24 meses.

Os analistas também esperam que a CVC saia da crise muito mais enxuta. “Nos últimos 12 meses, a CVC reduziu sua força de trabalho em 13% e buscou melhorias na medida em que integra e automatiza melhor 10 aquisições, quatro equipes comerciais, quatro front-ends e sete backoffices. Simultaneamente, a CVC está se movendo em direção a preços dinâmicos e aumentou sua base de hotéis em cerca de 25% para 6.500 propriedades no Brasil, movimentos que sugerimos capazes de impulsionar o crescimento das vendas e margem de receita”, destacou.