Ação da Azul mantém alta do último pregão com novos rumores sobre compra da Latam

Foto divulgação: Azul Linhas Aéreas

São Paulo – A ação da Azul na B3 está entre as maiores altas do Ibovespa, após novos rumores de que a companhia está em conversas com credores da Latam para uma aquisição. Às 13h02 (horário de Brasília), o papel da aérea (AZUL) subia 3,07%, cotado a R$ 37,24.

Na sexta-feira, a ação chegou a subir 3% após a agência de notícias “Dow Jones” noticiar que a Azul Linhas Aéreas estaria em negociações com credores da Latam Airlines para tentar persuadir a rival a vender sua operação no Brasil. A Latam, por sua vez, afirmou que a empresa não tem intenção de vender a operação.

Procurada pela Agência CMA, a Azul reiterou a expectativa otimista em relação a uma possível consolidação com a companhia chilena informada na teleconferência de resultados, em 12 de agosto.

“Não vamos falar especificamente sobre nossa estratégia de negociação, mas direi que acreditamos fortemente que a consolidação é saudável, seja ela comercial ou a plena integração e consolidação no mercado. A LATAM tem um processo próprio acontecendo onde eles têm um período de exclusividade enquanto falamos, mas estou muito confiante de que é do melhor interesse de todos os seus stakeholders e especialmente de seus credores, porque as sinergias da consolidação doméstica no Brasil são muito grandes e que irão beneficiar a todos. Então, sim, ainda não desistimos. Ainda estamos olhando para isso. Estamos entusiasmados com as oportunidades que existem. E achamos que existe um ambiente regulatório muito favorável para isso”, disse, na ocasião, o CEO da Azul, John Rodgerson.

Em comentário, a Ativa Investimentos disse que as notícias sobre as negociações atendem a expectativa do mercado.

“A Azul segue conversando com credores para formular uma proposta pelos ativos da Latam. Como esperávamos, interesse principal se dá pela atuação doméstica e assunto pode evoluir de acordo com a potência do plano que Latam vir a apresentar aos seus credores em setembro”, disse a Ativa, em nota.