Vendas no varejo contrariam previsão e sobem 1,3% em agosto

11/10/2018 12:00:36

Por: Olívia Bulla / Agência CMA

São Paulo – As vendas do comércio varejista restrito, que excluem veículos e material de construção, interromperam três meses seguidos de queda e subiram 1,3% em agosto ante julho, segundo informações do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado contrariou a previsão de estabilidade (0,0%), conforme a mediana calculada pelo Termômetro CMA.

Já na comparação com agosto de 2017, as vendas no varejo voltaram a subir, em +4,1%, após terem interrompido 15 meses seguidos de resultados positivos no mês anterior. O resultado ficou acima da previsão, de +1,10%, ainda conforme o Termômetro CMA. Até agosto, as vendas no varejo restrito acumulam altas de 2,6% no ano e de 3,3% em 12 meses.

Segundo o IBGE, nos três meses anteriores, o comércio varejista acumulou perdas de 1,5%. Entre as atividades, sete das oito pesquisadas registraram taxas positivas na passagem de julho para agosto. A exceção ficou com livros, jornais, revistas e papelaria (-2,5%), que acumulam perda de 9,7% desde maio.

Na outra ponta, destaque para as altas em tecidos, vestuário e calçados (+5,6%) e combustíveis e lubrificantes (+3,0%). Na comparação anual, houve alta em cinco das oito atividades pesquisadas, com destaque para hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (+5,5%), na décima sétima taxa positiva seguida, nesse confronto.

Entre os locais pesquisados, o comércio varejista restrito subiu em 24 das 27 unidades da federação entre julho e agosto, com destaque, em termos de magnitude, para Paraíba (+7,5%) e Acre (+7,1%). Por outro lado, Tocantins (-2,0%) e Piauí (-0,5%) apresentaram queda, enquanto Roraima ficou estável, no período. Em relação a agosto de 2017, houve alta em 23 das 27 unidades da federação, com destaque para Paraíba (+14,1%), Maranhão e Espírito Santo (+9,6%, cada).

Deixar um comentário