Venda no varejo sobe mais que o previsto em agosto ante julho

14/11/2017 10:45:29

Por: Olívia Bulla / Agência CMA

Foto: USP Imagens

São Paulo – As vendas do comércio varejista restrito, que excluem veículos e material de construção, voltou a subir em setembro, em +0,5% em relação a agosto, quando interrompeu quatro meses consecutivos de expansão, segundo informações do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado ficou acima da mediana projetada pelo Termômetro CMA, de +0,20%.

Já na comparação com agosto de 2016, as vendas no varejo cresceram pelo sexto mês consecutivo, em +6,4%. Trata-se da maior expansão do comércio em base anual desde abril de 2014, quando avançou 6,7%. O resultado também ficou acima da mediana das previsões, de +5,50%. Até setembro, as vendas no varejo acumulam alta de 1,3% no ano, mas queda de 0,6% nos últimos 12 meses. Apenas no terceiro trimestre de 2017, houve aumento de 4,3% em relação a igual período de 2016.

Entre as oito atividades pesquisadas, cinco registraram taxas positivas na passagem de agosto para setembro, com destaque para o setor de hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (+1,0%), seguido por artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (+4,3%).

Na outra ponta, destaque para os recuos, em base mensal, em combustíveis e lubrificantes (-0,7%) e livros, jornais, revistas e papelaria (-3,4%). Na comparação anual, também houve crescimento em cinco das oito atividades pesquisadas, com destaque ainda em hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (+6,0%) e móveis e eletrodomésticos (+16,6%).

Entre os locais pesquisados, o comércio varejista restrito avançou em 18 das 27 unidades da federação em relação a agosto, sendo que as maiores variações positivas foram observadas na Paraíba (+3,5%), no Amazonas (+3,3%) e em Mato Grosso e Mato Grosso do Sul (ambos com +3,1%). Em relação a setembro de 2016, houve avanço em 23 Estados, com destaque para Mato Grosso (+18,1%) e Acre (+17,3%).

Edição: Eliane Leite (e.leite@cma.com.br)

 

Deixar um comentário