Venda no varejo cai após quatro meses de alta

11/10/2017 10:15:04

Por: Olívia Bulla / Agência CMA

Interior de loja de eletrodomésticos com diversos televisores tela plana em shopping center. (Foto: Marcos Santos / USP Imagens)

São Paulo – As vendas do comércio varejista restrito, que excluem veículos e material de construção, caíram 0,5% em agosto ante julho, após quatro meses seguidos sem registrar queda, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado contrariou a previsão de alta de 0,10%, conforme a mediana projetada pelo Termômetro CMA.

Já na comparação com agosto de 2016, as vendas no varejo cresceram pelo quinto mês consecutivo, em 3,6%. O resultado ficou abaixo da mediana das previsões, de +4,15%. Até agosto, as vendas no varejo acumulam alta de 0,7% no ano, mas queda de 1,6% nos últimos 12 meses.

Entre as oito atividades pesquisadas, sete registraram taxas negativas na passagem de julho para agosto. A exceção ficou com o setor de móveis e eletrodomésticos, que avançou 1,7%, no quarto avanço seguido.

Na outra ponta, no período, destaque para os recuos em equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (-6,7%); e tecidos, vestuário e calçados (-3,4%). Já na comparação anual, houve crescimento em seis das atividades pesquisadas, com destaque também para móveis e eletrodomésticos (+16,5%); seguido por hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (+1,7%).

Entre os locais pesquisados, o comércio varejista restrito caiu em 17 dos 27 Estados em relação a julho, sendo que as maiores variações negativas foram observadas no Amazonas (-3,2%) e em São Paulo (-1,7%). Na comparação com agosto de 2016, houve avanço em 21 Estados, com destaque para Santa Catarina (+16,4%) e Acre (+12,9%).

Edição: Gustavo Nicoletta (g.nicoletta@cma.com.br)

 

Deixar um comentário