Trump publica, apaga tweets, volta atrás, mas anuncia aumento de tarifas sobre produtos chineses

Por Carolina Pulice

São Paulo – Em uma série de tweets nesta manhã, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou o aumento das tarifas sobre produtos importados da China e a realocação de US$ 15 bilhões para produtos agrícolas de fazendeiros norte-americanos.

“As conversas com a China continuam de uma maneira agradável – não há a necessidade de ter pressa – uma vez que as tarifas estão sendo pagas agora para os Estados Unidos pela China em 25% sobre US$ 250 bilhões em bens e produtos”, afirmou pelo Twitter.

Segundo ele, os pagamentos massivos irão diretamente para o Tesouro do país. “O processo começou para colocar tarifas adicionais de 25% sobre US$ 325 bilhões”, afirmou pelo Twitter, ao mesmo tempo em que afirmou que os Estados Unidos vendem aproximadamente US$ 100 bilhões em bens e produtos, o que ele considera como um “grande desequilíbrio”.

Trump disse que com os US$ 100 bilhões em tarifas que serão pagas, o país vai comprar produtos agrícolas “para os ótimos fazendeiros”, em quantidades maiores do que a China já comprou, e vai entregá-los para países pobres em forma de assistência humanitária. “Enquanto isso, vamos continuar negociando com a China com a esperança de que eles não vão tentar refazer o acordo”.

De acordo com o presidente norte-americano, as tarifas trarão mais “riqueza do que nunca” do que um acordo fenomenal do tipo tradicional.

“Nossos fazendeiros vão fazer melhor, mais rápido, e nações famintas podem agora ser ajudadas. As isenções sobre alguns produtos serão garantidos, ou irão para uma nova fonte”.

Os tweets foram deletados por volta das 8h30 (horário de Brasília). Cerca de 17 minutos depois, Trump republicou o mesmo texto em que anunciava o aumento de tarifas, mas retirou a parte em que afirmava que teria US$ 85 bilhões para projetos em infraestrutura, saúde e outros setores do país, e que teria US$ 15 bilhões para aquisições de produtos agrícolas de
fazendeiros norte-americanos. Ele também retirou a parte em que dizia que os Estados Unidos iriam acelerar ao mesmo tempo em que a China iria desacelerar. Por volta das 09h07, este tweet foi republicado.

RESPOSTA

O governo da China anunciou que vai adotar contramedidas contra os Estados Unidos, após o país elevar as tarifas sobre produtos importados chineses. “Os Estados Unidos elevou a tarifa sobre US$ 200 bilhões de produtos exportados pela China de 10% para 25%. A China lamenta profundamente que vai ter que tomar as contramedidas necessárias”, afirmou o Ministério do Comércio chinês.

O governo chinês ainda confirmou que a décima primeira rodada de negociações comerciais com o país. “Espera-se que ambos os lados trabalhem juntos para resolver os problemas existentes através da cooperação e consulta”, completou o comunicado.

HISTÓRICO

No domingo, também pelo Twitter, o líder norte-americano disse que aumentaria as tarifas porque a China estava dificultando as negociações para o acordo comercial. Na noite de quarta-feira, Trump disse que o governo chinês tinha quebrado o acordo ao tentar retirar do texto original compromissos já firmados nas negociações em curso.

Mesmo com as críticas e o aumento das tarifas, Trump ressaltou que espera continuar as negociações comerciais com a China. O vice-premiê chinês, Liu He, está em Washington desde ontem para retomar as negociações com representantes norte-americanos.