Trump descarta possibilidade de impeachment e nega interferência russa

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. Foto: Divulgação/ Casa Branca

Por Cristiana Euclydes

São Paulo – O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, descartou a possibilidade de um processo de impeachment contra ele, reiterou que a Rússia não o ajudou a ser eleito e fez novas críticas ao investigador especial Robert Mueller, que conduziu o inquérito sobre a interferência russa nas eleições norte-americanas de 2016.

“Não, a Rússia não ajudou a me eleger”, disse Trump em declarações a repórteres ao deixar a Casa Branca. “Você sabe quem me elegeu? Eu me elegi”. O presidente reiterou que as acusações investigadas por Mueller eram falsas, pois não houve conluio nem obstrução.

Trump também descartou a possibilidade de sofrer um impeachment. “Não vejo como”, disse. “Para mim é uma palavra suja, a palavra impeach”, afirmou. “Mão tem nada a haver comigo. Então acho que não, porque não houve crime”, reiterou.

Uma versão reduzida do relatório final da investigação de Mueller, enviado ao Congresso em meados de abril, não apontou nenhum envolvimento russo na campanha de Trump e reportou evidências insuficientes de obstrução da justiça pelo presidente, mas deixou claro que houve interferência do governo russo nas eleições de 2016.

Atualmente, diversos comitês do Congresso ainda estão analisando o relatório de Mueller e muitos democratas já manifestaram publicamente seu apoio à abertura de um processo de impeachment contra Trump por obstrução de justiça.

Ontem, Mueller afirmou, em sua primeira declaração pública após a conclusão da investigação, que se tivesse certeza de que o presidente não cometeu um crime, teria dito. Ao falar aos repórteres hoje, Trump fez novas críticas ao investigador.

“Robert Mueller nunca deveria ter sido escolhido”, disse Trump, acrescentando que ele estava em conflito, pois queria ter sido escolhido para o Departamento Federal de Investigação (FBI, na sigla em inglês) e antes disso os dois tiveram uma disputa de negócios. “Eu acho que Mueller é um verdadeiro nunca-Trump. Ele é alguém que não gosta de Donald Trump”.

Mais cedo, no Twitter, o presidente norte-americano disse: “eu não tinha nada a ver com a Rússia me ajudando a ser eleito. Foi um crime que não existia”.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com