Setor privado do Japão tem menor atividade em mais de 2 anos

São Paulo – O índice dos gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) sobre a atividade do setor de serviços do Japão caiu a 52,0 pontos em março, de 52,3 pontos em fevereiro, de acordo com dados divulgados pelo instituto de pesquisas IHS Markit.

Leituras acima de 50 pontos sugerem expansão da atividade, enquanto valores menores apontam contração. O PMI composto, que agrega dados sobre a atividade dos setores industrial e de serviços recuou para 50,4 pontos em março, de 50,7 pontos em fevereiro, para seu menor nível em mais de dois anos.

O crescimento da atividade do setor de serviços foi sustentado pelos saudáveis novos pedidos e a contínua expansão no número da força de trabalho. No entanto, novas exportações continuaram subjugadas, enquanto o otimismo nos negócios escorregou para uma maior queda em um ano e meio.

Para o economista da IHS Markit, Joe Hayes, os dados mostraram um sólido começo de ano, com as atividades marcando seu maior trimestre desde o segundo trimestre de 2017. “O volume de produção foi apoiado pela demanda interna favorável em março, enquanto os novos pedidos exteriores permaneceram altos”.

No entanto, Hayes ressalta que, quando o resultado é combinado com o decepcionante resultado industrial, o PMI composto cai pelo quinto mês seguido.

“Enquanto fricções no comércio global e uma desaceleração representem riscos externos, o aumento na taxa de consumo no final deste ano pode potencialmente inviabilizar o mercado doméstico”.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com