Romero Jucá, do MDB, é denunciado por corrupção

Por Gustavo Nicoletta

Romero Jucá
O então senador pelo Estado de Roraima, Romero Jucá. (Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil)

São Paulo – A força-tarefa da operação Lava Jato denunciou o ex-senador e presidente em exercício do MDB, Romero Jucá, por corrupção em contratos da Transpetro e por lavagem de R$ 1 milhão em propinas por meio de doação oficial.

Segundo os procuradores, a Galvão Engenharia, que possuía contratos com a Transpetro, pagava o equivalente a 5% do valor destes contratos a integrantes do MDB que sustentavam Sérgio Machado na presidência da companhia. Em troca, a empresa continuava recebendo convites para participar das licitações da estatal.

Jucá, de acordo com a denúncia, era um dos políticos que mantinham Machado no comando da Transpetro e que recebia as propinas. No caso dele, o pagamento da propina pela Galvão Engenharia foi disfarçado como doação eleitoral oficial de R$ 1 milhão.

Em junho de 2010, a empresa efetuou o repasse desses subornos para Romero Jucá ao Diretório Estadual do PMDB no Estado de Roraima. As propinas, assim, irrigaram a campanha de reeleição de Romero Jucá ao Senado, bem como as campanhas do filho e de ex-esposa para o Legislativo.

“As investigações comprovaram ainda que a Galvão Engenharia não tinha qualquer interesse em Roraima que justificasse a realização da doação oficial, a não ser o direcionamento de propinas para Romero Jucá”, disse o Ministério Público Federal (MPF) em nota.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com