Renovação política dificulta entendimento, diz Alcolumbre

Por Gustavo Nicoletta

Davi Alcolumbre
O presidente do Senado, Davi Alcolumbre. (Foto: José Cruz/Agência Brasil)

São Paulo – A renovação significativa na composição do Congresso na última eleição torna o processo de convergência entre os partidos políticos mais lento, segundo o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP).

“O Senado teve praticamente 60% de renovação das suas cadeiras na eleição do ano passado, e a Câmara a maior renovação da história, quase 50% de parlamentares novos. Essa mudança se deu em torno de um processo eleitoral que o momento da eleição praticamente dividiu o Brasil em extremos”, disse ele, durante evento do BTG Pactual em Nova York.

Segundo ele, o cenário político começou a se ajustar após a eleição dele e do deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ) para a presidência da Câmara e do Senado, respectivamente.

“Todo começo, e ainda mais este começo, exige de todos nós esforços no sentido de buscarmos um entendimento. As convergências, naturalmente num congresso renovado, com muitos atores novos, tentando trazer os anseios para dentro do parlamento, se dão de forma um pouco mais lenta, digamos assim”, avaliou.

“No curto período de 120 dias de novo governo e novo parlamento, a gente sente – esse sentimento que quero externar em nome do Congresso Nacional – a segurança e tranquilidade de que estes atores estão convergindo em torno de proposta, ideais, a favor de uma nação”, acrescentou, minimizando as avaliações de que há “desarmonia” e “desentendimento” entre o Congresso e o Planalto.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com