RADAR: Atenção a EUA e leilão de portos

São Paulo – Os investidores devem ficar atentos a dados divulgados no exterior – entre eles o que mostra quantos empregos foram criados ou perdidos pela economia dos Estados Unidos, às 9h30 -, dada a ausência de indicadores relevantes no Brasil e da expectativa de poucas notícias importantes sobre política.

Ontem, o presidente Jair Bolsonaro disse que vai adotar na próxima semana o início do pagamento do 13o salário para beneficiários do programa Bolsa Família. Os recursos para o pagamento virão do combate à fraude no programa, segundo ele.

Na transmissão, ele também reforçou que o governo pretende conversar com países árabes e com a China para garantir que as relações comerciais do Brasil com estas nações continue saudável, ecoando comentários feitos na quinta-feira pelo ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, durante audiência no Senado.

Há receios de que a relação comercial do Brasil com os países árabes e a China possa ser prejudicada pela política externa do governo, que até agora se concentrou em aproximação e maior alinhamento com os Estados Unidos e Israel.

Também acontece hoje o leilão de arrendamento de seis áreas portuárias em Miramar (Belém) e Vila do Conde, no Pará. A previsão total de investimento é de R$ 430 milhões. Cinco áreas serão no Porto de Belém, todas classificadas como “brownfield” – já existentes e que vão receber melhorias operacionais.

Em âmbito corporativo, o Banco do Brasil pediu à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e à Comissão de Ética da Presidência da República (CEP) que se manifestem a respeito de “possíveis vedações ou interesses conflitantes” de Luiz Fernando Figueiredo que o impeçam de assumir um cargo no conselho de administração do banco.

No setor aéreo, a Gol divulgou que a demanda total (voos nacionais e internacionais) por voos da companhia aumentou 5,5% no mês de março, na comparação com o mesmo mês em 2018, enquanto a oferta por assentos se expandiu em 4,7%, fazendo com que o aproveitamento dos aviões no mês melhorasse em 0,6 ponto percentual, em 79,2%.

Mais cedo, a concorrente Azul Linhas Aéreas divulgou um aumento de 15,6% na demanda por voos em março, na comparação anual, enquanto a oferta por assentos teve uma ampliação de 15,3% no mesmo intervalo de tempo, o que fez a taxa de ocupação das aeronaves melhorar 0,2 ponto percentual, atingindo 80,8% no mês.

Já o dado mundial sobre demanda por viagens de avião apresentou uma alta de 5,3% no mês de fevereiro de 2019 na comparação com o mesmo mês de 2018, de acordo com dados compilados pela Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA). Esta alta, no entanto, foi a menor em mais de um ano, mas ainda alinhada às tendências de longo prazo da demanda. A oferta aumentou 5,4%, e o fator de carga caiu 0,1 ponto percentual, atingindo 80,6%, que ainda é alto, considerando os padrões históricos.

Ainda no setor de aviação, a Azul fechou uma linha de financiamento de US$ 200 milhões com a Corporação de Investimento Privado no Exterior (OPIC), instituição financeira que fomenta investimentos de empresas norte-americanas em mercados emergentes, para ter acesso a uma linha de crédito para realizar a manutenção dos motores de suas aeronaves Embraer E-195.

A Eletrobras contratou o Banco Santander para fazer ajudar no cumprimento de metas do Plano Diretor de Negócios e Gestão, incluindo uma emissão de debêntures de R$ 4 bilhões, com a qual a companhia irá honrar cerca de US$ 1 bilhão em bônus que vencem no início de julho.

A empresa também afirmou que investigações conduzidas pelo escritório de advogados Hogan Lovells entre o início de 2015 e o final de 2018 indicaram não haver motivos para suspeitar do envolvimento de Leonam dos Santos Guimarães, atual presidente da Eletronuclear, com esquemas de corrupção.

À época das investigações, Leonam era diretor de planejamento, gestão e meio ambiente da Eletronuclear. O comunicado da Eletrobras vem em resposta a notícias indicando que o ex-presidente Michel Temer, acusado recentemente de envolvimento em esquemas de corrupção relacionados à Eletronuclear, teria influência sobre a companhia por meio de Guimarães.

No mercado automotivo, a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) divulgou que os licenciamentos totais de automóveis e comerciais leves subiram 0,9% em março na comparação com o mesmo mês de 2018 e 5,3% na comparação com fevereiro.

A produção, no entanto, teve uma queda de 9,5% ante março de 2018 e recuo de 5,9% ante o mês de fevereiro, de acordo com a Anfavea.

Cerca de 45% das empresas ligadas à Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat) esperam que os resultados de abril sejam “bons ou muito bons”.

Em relação às expectativas sobre as ações do governo, pela primeira vez desde a eleição houve uma mudança sensível, indicando que, pela primeira vez desde outubro de 2018 é maioria o número de empresas “indiferentes” às ações governamentais, 55%, contra 45% que seguem “otimistas”.

Edição: Gustavo Nicoletta ([email protected])

Compartilhe com seus amigos