RADAR: Atenção a Equatorial, Vale, Focus e Bolsonaro

São Paulo – Os investidores devem reagir ao balanço da Equatorial, cujo lucro encolheu no quarto trimestre do ano passado em relação ao mesmo período do ano anterior, e ao presidente Jair Bolsonaro em Israel.

Bolsonaro está no país desde o fim de semana e anunciou a abertura de um escritório de negócios em Jerusalém – uma iniciativa menos agressiva do que a transferência da embaixada brasileira para a cidade, proposta que foi criticada por palestinos e por países muçulmanos. O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, porém, insistiu para que o Brasil avance nesta direção.

No fim de semana o presidente Bolsonaro também disse que o governo estuda formas de reduzir o imposto sobre as empresas, e indicou que para fazer isso pode compensar a queda na arrecadação com a cobrança de imposto de renda sobre os dividendos distribuídos pelas companhias.

“Desde 1995, o Brasil não cobra Imposto de Renda sobre dividendos (parcela do lucro distribuída aos acionistas de uma empresa), na contramão da prática internacional”, disse Bolsonaro em sua conta no Twitter.

Entre os indicadores publicados mais cedo, os economistas ouvidos pelo Banco Central reduziram a estimativa para o crescimento da economia brasileira em 2019 pela quinta vez seguida, de 2,00% para 1,98%, de 2,30% há quatro semanas. A projeção consta no relatório de mercado Focus.

Em âmbito corporativo, a 1a Vara Civil da Comarca de Nova Lima determinou o bloqueio de R$ 1 bilhão em recursos da Vale para resguardar a reparação de danos causados às pessoas que foram retiradas da chamada Zona de Auto Salvamento (ZAS) da barragem de Vargem Grande. A ZAS é o local em que não haveria tempo hábil para o socorro chegar em caso de rompimento da barragem.

O lucro da Equatorial caiu 16,7% no quarto trimestre do ano passado em relação ao mesmo período do ano anterior, para R$ 424,1 milhões, mesmo diante de um aumento de 39,8% na receita líquida, para R$ 3,807 bilhões, diante de um crescimento significativo nas despesas financeiras da companhia.

O conselho de administração da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) propôs o pagamento de R$ 792,2 milhões em juros sobre capital próprio (JCP), correspondentes a R$ 1,15900 por ação ordinária. O pagamentos será feito em 28 de junho para quem fizer parte da base de acionistas da companhia em 29 de abril. A proposta ainda precisa ser aprovada em assembleia.

O conselho de administração da Bradespar propôs o pagamento de um total de R$ 200,4 milhões em proventos, divididos em R$ 43,2 milhões em dividendos e R$ 157,2 milhões em juros sobre capital próprio (JCP). O pagamento será feito em 15 de maio a quem for parte da base de acionistas da empresa em 30 de abril.

O conselho de administração do Santander Brasil aprovou uma proposta de pagamento de R$ 850 milhões em juros sobre capital próprio (JCP). O valor já leva em consideração o desconto do imposto de renda. Terá direito a receber o pagamento quem fizer parte da base de acionistas da companhia em 5 de abril de 2019.

Gustavo Nicoletta / Agência CMA ([email protected])

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com