RADAR: Atenção à Câmara, CSN e Ultrapar

Por Gustavo Nicoletta

São Paulo – Os investidores devem ficar atentos às votações na Câmara dos Deputados, que deve continuar votando hoje destaques à medida provisória (MP) 870 – que reorganizou a estrutura dos ministérios e colocar em votação outras medidas provisórias que estão pendentes.

Na votação de ontem da MP 870, o resultado para o governo foi predominantemente positivo: o texto-base da MP foi mantido, e o governo também conseguiu assegurar a manutenção da estrutura ministerial da forma como está – sem a cisão do Ministério do Desenvolvimento Regional em duas pastas.

Apesar disso, o governo perdeu, por 228 votos a 210, a batalha pela transferência do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) ao Ministério da Justiça. O órgão seguirá no Ministério da Economia. A Câmara ainda vota hoje alguns destaques ao texto – entre eles o que limita as atividades investigativas da Receita Federal.

À tarde, a Câmara deve colocar em pauta uma série de outras medidas provisórias, entre elas a do saneamento e a que combate irregularidades em benefícios previdenciários – pautas também relevantes para o governo.

No setor corporativo, o mercado deve reagir a notícia de que a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) confirmou que as chinesas Citic e China Minmetals estão em tratativas avançadas com a empresa para fechar um acordo de venda de minério de ferro no mercado futuro, e que a operação pode render R$ 500 milhões.

Além disso, a Ultrapar iniciou uma oferta de recompra à vista, no exterior, de até US$ 200 milhões das notes 5,250% com vencimento em 2026 A oferta será realizada em 22 de maio de 2019 e está condicionada às condições descritas nos documentos de recompra.

A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) vai levantar R$ 866,7 milhões em sua 23a emissão de debêntures – pouco mais que o limite mínimo previsto no prospecto. A empresa pretendia obter de R$ 750 milhões a R$ 1,5 bilhão com a emissão.

A Eletrobras levantou R$ 5 bilhões por meio da venda de quatro debêntures diferentes – uma delas incentivada, isenta de imposto de renda – e usará os recursos para refinanciar o passivo da companhia.

O conselho de administração da BR Distribuidora convocou uma Assembleia Geral Extraordinária (AGE) para 7 de junho para que os acionistas deliberem sobre a proposta de alterações no estatuto da companhia, segundo comunicado enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com