FMI corta projeção de alta do PIB mundial em 2019 de 3,5% para 3,3%

Fundo Monetário Internacional Foto: BRENDAN SMIALOWSKI/AFP/Getty Images)

São Paulo – A economia mundial deverá crescer 3,3% este ano dando sequência a um processo de desaceleração que se intensificou na segunda metade de 2018 e deve continuar nos primeiros seis meses de 2019, de acordo com as novas projeções do Fundo Monetário Internacional (FMI).

A estimativa de 2019 representa um corte de 0,2 ponto percentual (pp) em relação às previsões feitas em janeiro e uma baixa de 0,4 pp na comparação com as projeções de outubro de 2018. No ano passado, a economia mundial cresceu 3,6%.

“Números da produção industrial e pesquisas com gerentes de compras sugerem que a desaceleração do crescimento global durante o segundo semestre de 2018 deverá continuar no início de 2019. A previsão prevê uma estabilização do crescimento no primeiro semestre do ano e uma recuperação gradual a partir desse ponto”, diz o FMI e nota.

Para 2020, a previsão é de que o PIB mundial cresça 3,6%, o mesmo percentual previsto em janeiro, mas um corte de 0,1 pp com relação às projeções de outubro de 2018.

O FMI atribui a desaceleração global a fatores como aumento das tensões comerciais entre Estados Unidos e China, redução da confiança das empresas, aperto das condições financeiras e maior incerteza política em muitas economias.

AVANÇADOS

Para os países avançados, a projeção de crescimento é de 1,8% para este ano, o que representa um corte de 0,2 pp com relação às previsões de janeiro e de 0,3 pp com relação a outubro. No ano passado, esse grupo cresceu 2,2%. Para 2020, a estimativa é de expansão de 1,7% – a mesma feita em janeiro e em outubro.

O FMI cita o enfraquecimento da atividade no Japão, em grande parte devido a desastres naturais no terceiro trimestre de 2018, e os Estados Unidos, onde o mercado de trabalho permaneceu aquecido, mas os investimentos perderam força na segunda metade do ano passado.

“A prolongada trégua na disputa comercial entre Estados Unidos e China proporcionou uma pausa bem-vinda em um cenário político turbulento que incluiu as negociações da saída do Reino Unido da União Europeia, discussões sobre o orçamento italiano, mudanças na direção política mexicana sob o novo governo, a paralisação do governo federal norte-americano e a política dos Estados Unidos sobre o Irã”, afirma o FMI no relatório.

EMERGENTES

Para os países emergentes, a projeção de crescimento é de 4,4% para este ano, o que representa um corte de 0,1 pp com relação às previsões de janeiro e de 0,3 pp com relação a outubro. No ano passado, esse grupo cresceu 4,5%. Para 2020, estimativa é de expansão de 4,8% – uma baixa de 0,1 pp na comparação com as estimativas de janeiro e outubro.

De acordo com o Fundo, a moderação da atividade econômica pirou o sentimento do mercado financeiro global no segundo semestre de 2018, agravando os fatores específicos de cada país.

“O aperto de política necessário para reduzir os desequilíbrios financeiros e macroeconômicos entrou em vigor na Argentina e na Turquia; a confiança perdeu força e os spreads aumentaram no México, após o cancelamento do governo de um aeroporto planejado para a capital e o retrocesso nas reformas de energia e educação; e as tensões geopolíticas contribuíram para uma atividade mais fraca no Oriente Médio”, diz o FMI.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com