Produção da Opep cai para menor nível em 5 meses, diz AIE

14/11/2017 11:39:41

Por: Cristiana Euclydes / Agência CMA

Divulgação/BP

São Paulo – A produção de petróleo dos membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) caiu em 80 mil barris por dia (bpd) em outubro ante setembro, para a média de 32,53 milhões de bpd, o menor nível em cinco meses, segundo o relatório mensal da Agência Internacional de Energia (AIE).

A baixa foi puxada por reduções na oferta do Iraque, da Argélia e da Nigéria, sendo o Iraque responsável pela maior baixa. O exército do país retomou controle sobre campos de petróleo da região norte e suspendeu as exportações locais, até que um acordo seja fechado com os curdos que controlavam a área.

Com isso, a taxa de conformidade total da Opep com o acordo de corte de oferta subiu para 96% em outubro, depois de ficar em 87% em setembro, atingindo o maior nível desde janeiro, quando o pacto entrou em vigor. Pelos termos do acordo, os membros da Opep devem retirar 1,2 milhão de bpd de petróleo do mercado até março de 2018, afim de impulsionar os preços. No acumulado do ano, a taxa de conformidade está em 87%.

O acordo também conta com a assinatura de outros dez países que não pertencem à Opep, mas que concordaram em reter a produção de mais 600 mil bpd, levando o corte total a 1,8 milhão de bpd. A taxa de aderência desse grupo caiu, de 142% em setembro para 107% em outubro, mas continua acima de 100%, o que indica que os signatários estão cortando mais que o combinado. No acumulado do ano, a conformidade está em 81%.

No dia 30 de novembro, a Opep realiza sua cúpula semestral em Viena e, na reunião, espera-se que o acordo de corte de produção seja estendido por mais tempo, possivelmente durante todo o ano de 2018.

PRODUÇÃO GLOBAL

A AIE informa ainda que a oferta global de petróleo aumentou em 100 mil bpd em outubro, para 97,5 milhões de bpd, motivada pelo aumento da produção dos países de fora da Opep. A produção no Mar do Norte e no México se recuperou após manutenções e interrupções causadas pelo clima. Mais uma vez, furacões afetaram a oferta dos Estados Unidos.

Para o ano de 2017 completo, a AIE estima que a oferta dos países de fora da Opep deve aumentar em média em 680 mil bpd, para 58,1 milhões de bpd, seguida de uma alta de 1,44 milhão de bpd em 2018, para 59,5 milhões de bpd. Os ganhos serão liderados pelos Estados Unidos, enquanto Canadá, Brasil e Reino Unido são outras fontes notáveis de crescimento. A AIE não faz projeções para a oferta da Opep.

Edição: Pâmela Reis (pamela.reis@cma.com.br)

Deixar um comentário