Procedimento contra Itália não é mais necessário, diz comissário europeu

Por Carolina Pulice

São Paulo – O comissário europeu para Assuntos Econômicos e Financeiros, Pierre Moscovici, disse que o procedimento por conta do déficit excessivo da Itália não é mais necessário, mas que a União Europeia (UE) vai continuar monitorando a execução orçamentária do país.

Pierre Moscovici, representante da Comissão Europeia para assuntos econômicos e financeiros (Divulgação/Conselho da União Europeia)

“A Comissão concluiu que o procedimento por conta do excessivo déficit da Itália não é mais necessário”, disse em coletiva de imprensa.

“Mas vamos continuar monitorando a execução orçamentária da Itália com muita atenção no segundo semestre deste ano. Também precisamos analisar com muito cuidado o plano fiscal do país para 2020, que deve ser entregue até o dia 15 de outubro”, completou.

O comunicado é uma resposta ao anúncio da União Europeia, feito no início de junho, de que poderia abrir um processo disciplinar contra a Itália, com uma multa de 3 bilhões de euros, por conta de o país ter desrespeitado os regulamentos orçamentários do bloco.

Moscovici disse que o governo italiano adotou, na segunda-feira, um pacote de medidas que formaliza a resposta às condições impostas pelo bloco europeu, e que o país vai respeitá-las.