Primeira-ministra britânica Theresa May renunciará em 7 de junho

Por Cristiana Euclydes

Primeira-ministra britânica, Theresa May. (Foto: Divulgação)

São Paulo – A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, anunciou que vai deixar o cargo no dia 7 de junho, após seu acordo para o Brexit ter sido rejeitado três vezes no Parlamento e com poucas perspectivas de que o novo plano, que ela apresentou esta semana, seja aprovado.

“Agora está claro para mim que é no melhor interesse do país que um novo primeiro-ministro lidere estes esforços”, disse ela, em um discurso em Downing Street. Segundo a premiê, o processo para eleger um novo líder vai começar na semana seguinte à sua renúncia, e ela vai continuar no cargo até que um sucessor seja escolhido.

“É sempre será motivo de profundo pesar que eu não tenha sido capaz de entregar o Brexit. Caberá ao meu sucessor buscar honrar os resultados do plebiscito. Para ter sucesso, ele ou ela terá que encontrar consenso no Parlamento onde eu não encontrei”, afirmou, acrescentando que, a única forma de chegar a um consenso é se todos os lados do debate estiverem dispostos a ceder.

Segundo ela, há três anos o povo britânico votou para deixar a União Europeia (UE) e que, em uma democracia, se você dá as pessoas uma escolha você tem o dever de implementar o que elas decidiram. “Eu dei o meu melhor para fazer isso. Eu negociei os termos de nossa saída e de um novo relacionamento com nossos vizinhos mais próximos que protege empregos, nossa segurança e nossa união”, disse.

“Fiz tudo que pude para convencer os parlamentares a apoiar este acordo.

Infelizmente, eu não fui capaz de fazer isso. Tentei três vezes”, disse.

“Então, hoje, eu anunciou que estou renunciando como líder do Partido Conservador e do governo na sexta-feira, 7 de junho, para que um sucesso seja escolhido”, destacou.

O Brexit estava inicialmente marcado para o dia 29 de março deste ano, mas o acordo de saída que May assinou com os líderes da UE não foi aprovado no Parlamento do país. Assim, a saída do Reino Unido do bloco europeu foi adiada duas vezes e a nova data para formalizar o divórcio é 31 de outubro.

May já havia prometido deixar o cargo se o acordo fosse aprovado pelos deputados e enfrentava crescente pressão, inclusive de seu próprio partido, para marcar uma data para sua renúncia. A premiê sobreviveu a duas tentativas de afastá-la do cargo.

Esta semana, May apresentou um novo plano para o Brexit, incluindo a possibilidade de que, após a aprovação do acordo de saída, os deputados votem a realização de um segundo plebiscito sobre o Brexit. A votação da nova proposta no Parlamento está prevista para a semana que começa no dia 3 de junho.

O novo plano foi criticado por membros de seu partido e levou à renúncia de Andrea Leadsom, líder conservadora no Parlamento. Além disso, começaram ontem as eleições ao Parlamento Europeu, e as pesquisas mostram que o Partido Conservador terá seu pior resultado na votação, com votos sendo transferidos para o novo partido do Brexit liderado por Nigel Farage.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com