Previsão de crescimento do PIB em 2018 no Boletim Focus cai a 2,51%

14/05/2018 09:45:52

Por: Olívia Bulla / Agência CMA

Gráfico

FreeImages.com/ilker[:

São Paulo – Os economistas ouvidos pelo Banco Central no relatório Focus reduziram a estimativa para o crescimento da economia brasileira em 2018 pela segunda vez seguida, de 2,70% para 2,51%, ante previsão de 2,76% um mês atrás. Já para 2019, a previsão para o Produto Interno Bruto (PIB) permaneceu em alta de 3,00%, pela décima quinta vez seguida.

A estimativa para a relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB neste ano ficou em 55,00% pela nona vez e em 57,00% no ano que vem, pela quarta vez. Em relação ao desempenho da produção industrial, a estimativa para 2018 caiu pela terceira semana seguida, de 3,81% para 3,80%, mas permaneceu em 3,50% em 2019, pela nona semana.

Os economistas ouvidos pelo Banco Central mantiveram a previsão para a taxa básica de juros ao final deste ano em 6,25%
pela sexta vez seguida, o que indica uma queda de 0,25 ponto percentual (pp) na Selic na próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) nesta semana – previsão mantida há seis semanas.

Atualmente, o juro básico está em 6,50% ao ano. A previsão para a taxa  média de juros em 2018 ficou em 6,34%, também pela sexta vez. Já para 2019,
os economistas projetam um ciclo de alta da taxa básica de juros, com a Selic indo a 8,00%, estimativa mantida há 17 semanas, enquanto a projeção para taxa média de juros no ano que vem caiu após duas altas seguidas, passando de 7,15% para 7,07%, de 7,20% há quatro semanas.


Câmbio

Os economistas  elevaram a previsão para a taxa de câmbio ao final de 2018 pela quarta semana consecutiva, de R$ 3,37 para R$ 3,40, de R$
3,30 quatro semanas atrás. A taxa média de câmbio no período subiu pela quinta vez, também passando de R$ 3,37 para R$ 3,40, de R$ 3,31 há um mês.

Já para 2019, a previsão para a taxa de câmbio permaneceu em R$ 3,40 pela terceira vez, enquanto a taxa média de câmbio para o ano que vem interrompeu  três semanas seguidas de alta e ficou em R$ 3,40, de R$ 3,35 quatro semanas antes.

Inflação

A projeção  para a inflação medida pelo Indice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) para os próximos 12
meses subiu pela sétima vez seguida, de 4,12% para 4,21%, de 4,02% um mês atrás. Para 2018, a estimativa interrompeu duas semanas seguidas de
estabilidade e caiu de 3,49% para 3,45%, de 3,48% há quatro semanas.

Já para 2019, a estimativa caiu de 4,03% para 4,00%, de 4,07% um mês atrás. Considerando-se apenas o mês de maio, a estimativa para o IPCA subiu de 0,32% para 0,33%, e foi de 0,26% para 0,28% na previsão para junho

Edição: Eliane Leite (e.leite@cma.com.br)

Deixar um comentário