Previsão de alta do PIB da zona do euro em 2019 cai de 1,5% para 1,2%, diz pesquisa do BCE

Sede do Banco Central Europeu, em Frankfurt. Foto: Divulgação/ BCE

Por Cristiana Euclydes

São Paulo – Os especialistas ouvidos pelo Banco Central Europeu (BCE) reduziram a estimativa para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) dos países que compõem a zona do euro em 2019, para 1,2%, após a projeção de 1,5% divulgada em janeiro.

Para 2020, a previsão dos especialistas caiu de 1,5% para 1,4%, e ficou estável em 1,4% para 2021. No longo prazo, a projeção caiu de 1,5% para 1,4%, de acordo com a pesquisa.

Ontem, o presidente do BCE, Mário Draghi, reiterou que os riscos à economia da zona do euro seguem altos, devido a fatores geopolíticos globais e a ameaça de medidas protecionistas, que reduzem a confiança das empresas. Esta semana, os Estados Unidos ameaçaram impor tarifas extras a US$ 11 bilhões em produtos importados da Europa.

Segundo Draghi, em coletiva de imprensa após a decisão de política monetária do BCE, o crescimento do setor industrial europeu, em especial, está desacelerando, refletindo o enfraquecimento da demanda externa. Na reunião de ontem, o BCE manteve suas taxas de juros de referência inalteradas.

A pesquisa do BCE também mostrou que as estimativas para a taxa de inflação medida pelo índice de preços ao consumidor harmonizado (HICP, na sigla em inglês) foram reduzidas de 1,5% para 1,4% em 2019; de 1,6% para 1,5% em 2020 e de 1,7% para 1,6% em 2021. No longo prazo, a previsão ficou inalterada em 1,8%.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com