Powell reafirma que Fed está pronto para agir para sustentar expansão dos EUA

Por Carolina Gama

São Paulo – O presidente do Federal Reserve (Fed), Jerome Powell, voltou a dizer que o banco central norte-americano está pronto para agir para sustentar o crescimento econômico dos Estados Unidos em um momento no qual as incertezas ligadas ao comércio e à desaceleração global estão aumentando.

O presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Jerome Powell. Foto: Divulgação/ Federal Reseve

“Em nosso cenário base, esperamos que o crescimento nos Estados Unidos permaneça sólido, que o mercado de trabalho siga forte e que a inflação volte a acelerar e alcance perto de 2%. As incertezas sobre essa perspectiva aumentaram, no entanto, particularmente em relação à evolução do comércio e ao crescimento global. Além disso, questões como o teto da dívida federal norte-americana e o Brexit permanecem sem solução”, disse.

Em discurso preparado para evento em Paris, Powell destacou que os membros do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) também levantaram preocupações sobre a inflação persistentemente abaixo da meta de 2%. Segundo ele, as medidas de compensação de inflação baseadas no mercado diminuíram, e algumas medidas de expectativas baseadas em pesquisas estão próximas do piso de suas faixas históricas.

“Muitos membros do Fomc julgaram na época de nossa mais recente reunião em junho que a combinação desses fatores fortalece a necessidade de uma postura de política um pouco mais acomodatícia. Estamos monitorando cuidadosamente esses desenvolvimentos e avaliando suas implicações para as perspectivas econômicas e inflação dos Estados Unidos, e agiremos conforme apropriado para sustentar a expansão, com um forte mercado de trabalho e a inflação perto de seu objetivo simétrico de 2%”, afirmou Powell.

O comitê de política monetária do Fed volta a se reunir em nos dias 30 e 31 deste mês. A aposta do mercado, segundo a ferramenta FedWatch do CME Group, é de 100% de corte de 0,25 ponto percentual (pp) da taxa básica neste encontro. Atualmente, os juros estão na faixa entre 2,25% e 2,50% ao ano.

SITUAÇÃO ATUAL DA ECONOMIA E PERSPECTIVAS

Além de reconhecer que as incertezas globais estão cada vez maiores, Powell fez alguns alertas sobre a situação geral da economia norte americana e sobre suas perspectivas. Segundo ele, o crescimento econômico sólido sustentou um mercado de trabalho forte, mas há riscos no horizonte.

“Mais recentemente, o Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos cresceu a uma taxa anual de pouco mais de 3% no primeiro trimestre, semelhante ao ritmo forte do ano passado. Mas a expansão do primeiro trimestre foi impulsionada em grande parte pelas exportações líquidas e pelos estoques – duas categorias de gastos voláteis que normalmente não são indicadores confiáveis do momento atual”, disse.

Para o segundo trimestre, no entanto, o chefe do Fed acredita em uma expansão mais moderada. “O crescimento dos gastos do consumidor, que foi brando no primeiro trimestre, parece ter se recuperado, mas o crescimento do investimento das empresas parece ter desacelerado significativamente. Além disso, o setor manufatureiro segue frágil desde o início do ano, em parte influenciado pelos gastos mais brandos, pelo crescimento mais fraco da economia global e por preocupações com as tensões comerciais”, afirmou.

Sobre a inflação, Powell afirma que apesar da baixa taxa de desemprego e do sólido crescimento global, as pressões inflacionárias continuam brandas. “Depois de correr perto do objetivo simétrico de 2% do Fomc durante maior parte do ano passado, tanto a inflação dos preços ao consumidor como o núcleo da inflação desaceleraram no começo do ano”, acrescentou.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com