PGR quer investigação conjunta de Temer, Moreira e Eliseu Padilha

11/01/2019 09:25:44

Por: Leandro Tavares / Agência CMA

São Paulo – A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, defendeu investigação conjunta do ex-presidente Michel Temer e dos ex-ministros Moreira Franco e Eliseu Padilha no caso que apura recebimento de R$ 14 milhões em propina da Odebrecht. A manifestação foi encaminhada ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Na decisão, Dodge destacou que “não há mais qualquer utilidade prática no agravo interposto pelo investigado, uma vez que o mandato do presidencial de Michel Temer se encerrou em 1 de janeiro de 2019” e que o caso somente foi desmembrado pelo ministro Edson Fachin em função da imunidade do ex-presidente.

No ano passado, a defesa de Moreira Franco havia entrado com agravo regimental contra a decisão do ministro Edson Fachin, responsável pelo caso no STF, que suspendeu temporariamente o trâmite dos autos até o término do mandato do presidente. Dodge determinou ainda a remessa dos autos relacionados a Moreira Franco e Eliseu Padilha para o Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo.

Para a procuradora-geral, é certo que os fatos apurados no inquérito que envolvem Michel Temer, Moreira Franco e Eliseu Padilha são conexos, uma vez que a prova de uma infração ou de qualquer de suas circunstâncias elementares influiu na prova de outra infração.

Deixar um comentário