PF investiga irregularidades do PSL em eleição de MG

Por Gustavo Nicoletta

O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, durante posse do presidente da Embratur, Gilson Machado Neto. (Foto: Valter Campanato/Agência Brasil)

São Paulo – A Polícia Federal (PF) lançou hoje a segunda fase da Operação Sufrágio Ostentação para investigar suspeita de que o PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro, usou candidatas em Minas Gerais para desviar recursos públicos.

Segundo a PF, Foram cumpridos três mandados judiciais de busca e apreensão e três mandados judiciais de prisão temporária, nas cidades de Brasília (DF), Governador Valadares (MG) e Ipatinga (MG).

Informações publicadas na imprensa apontam que uma das pessoas presas seria Mateus Von Rondon, assessor especial do ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio. Marcelo foi acusado por candidatas do PSL de ter participado do esquema de candidaturas falsas para desvio de dinheiro público em Minas Gerais.

Em nota, o Ministério do Turismo disse que “não há qualquer relação entre a investigação da Polícia Federal e as funções desempenhadas pelo assessor especial no Ministério do Turismo. O órgão aguarda mais informações para se pronunciar sobre o caso.”

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com