Partidos fora da disputa presidencial preferem neutralidade

10/10/2018 10:00:52

Por: Gustavo Nicoletta / Agência CMA

São Paulo – Os partidos políticos que estão fora da disputa presidencial e decidiram qual será sua postura em relação ao segundo turno preferiram, em sua maioria, manter a neutralidade. O restante sinalizou apoio ao candidato do PT, Fernando Haddad, sendo a única exceção o PTB, que apoiará Jair Bolsonaro (PSL).

Ontem, os partidos DC, Novo, Patriotas, PP, PRB e PSDB indicaram que ficarão neutros na disputa. Somadas, estas siglas detêm 110 dos 513 assentos na Câmara dos Deputados e 15 dos 81 assentos do Senado a partir do ano que vem.

As siglas que não fazem parte da coligação de Haddad mas apoiarão o candidato incluem PSOL, PPL e PSB. Juntos, estes partidos possuirão 43 assentos na Câmara e dois no Senado. A coligação do candidato petista, formada por PT, PCdoB e Pros, terá 73 deputados e sete senadores.

A coligação do candidato a presidente Jair Bolsonaro, formada pelo PSL e o PRTB, recebeu manifestações oficiais de apoio apenas do PTB até o momento, mas integrantes das siglas que se posicionarão de forma neutra indicaram que ou apoiarão o candidato ou ficarão contra a candidatura de Haddad.

É o caso do partido Novo, do candidato derrotado no 1o turno na corrida presidencial, João Amoêdo. Em nota divulgada ontem, o grupo disse que não apoiará nenhum candidato na disputa de segundo turno, mas que os membros do partido são “absolutamente contrários ao PT, que tem ideias e práticas opostas as nossas.”

O candidato a governador do Estado de São Paulo pelo PSDB, João Doria, também entra nesta lista. Ele declarou apoio pessoal à candidatura de Bolsonaro.

A coligação de Bolsonaro, sozinha, possuirá 52 assentos na Câmara dos Deputados e quatro no Senado no ano que vem. O PTB, único que se manifestou oficialmente a favor do candidato, terá 10 deputados e 3 senadores.

Nesta quarta-feira, os partidos MDB, PDT e PPS devem se reunir hoje para definir seu posicionamento em relação aos candidatos do segundo turno. A expectativa é de que o PDT, do candidato derrotado Ciro Gomes, apoie Haddad. O MDB está dividido, embora inclinado a apoiar Bolsonaro, e o PPS deve ficar neutro.

 

Deixar um comentário